Polícia não encontra provas para incriminar PC Siqueira por pedofilia

As informações foram divulgadas pelo site Notícias da TV. Youtuber foi acusado em 2020

atualizado 23/02/2021 19:00

Reprodução/Instagram

Relatórios produzidos pela Superintendências da Polícia Técnico-Científica (SPTC), órgão ligado à Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, teriam concluído não haver provas para incriminar PC Siqueira no crime de pedofilia. As informações foram reveladas pelo Notícias da TV.

Os técnicos analisaram o computador, HD externo, celular, videogame e outros dispositivos eletrônicos do youtuber. A conclusão é de que não haveria nenhuma evidência que pudesse incriminar PC Siqueira.

Segundo a reportagem do Notícias da TV, que teve acesso aos relatórios, os técnicos teriam concluído que PC Siqueira não armazenava ou compartilhava fotos de pornografia infantil. Nem mesmo teriam sido registradas conversas sobre o assunto ou pesquisas sobre o tema.

A única menção encontrada sobre pedofilia foi registrada, entre 2008 e 2011 (não foi possível definir a data exata), em uma conversa no aplicativo QQ. No software, PC Siqueira fala: “Na verdade, eu sou pedófilo”. Porém, a frase estaria em um contexto de piada.

Um telefone celular da marca Samsung também foi submetido à análise, e a polícia não conseguiu fazer uma varredura sobre o histórico de busca nos navegadores disponíveis no aparelho.

PC Siqueira foi acusado de pedofilia em junho de 2020: vazaram supostas conversas do youtuber na qual ele teria enviado fotos de uma menina de seis anos.

PC Siqueira negou o fato desde o começo.

Últimas notícias