Morre, aos 89 anos, o maestro e compositor André Previn

Músico de formação erudita, ele ultrapassou a fronteira clássica e compôs musicais e trilhas de filmes: teve três indicações ao Oscar

ReproduçãoReprodução

atualizado 28/02/2019 22:33

Morreu aos 89 anos, em sua casa em Nova York (EUA), o maestro e compositor André Previn, um dos grandes músicos eruditos e também autor de premiadas trilhas para o cinema, incluindo três indicadas ao Oscar no mesmo ano de 1961 – as trilhas de Elmer Gantry, Bells Are Ringing (Essa Loira Vale um Milhão, 1960) e a canção Faraway Part of Town, da comédia Pepe.

Previn também será lembrado como um compositor que rompeu as barreiras entre gêneros musicais, compondo tanto canções populares como concertos para piano, peças jazzísticas de grande sofisticação, óperas e musicais de Broadway (ele é autor de Coco, que teve Katharine Hepburn no papel da estilista Coco Chanel, um êxito que ficou quase um ano em cartaz, entre 1969 e 1970).

Embora tenha ficado conhecido como o homem que tirou Mia Farrow de Frank Sinatra, André Previn foi muito mais que o marido de mulheres famosas, entre elas a violinista alemã Anne Sophie-Mutter. De origem alemã, Previn nasceu Andreas Ludwig Priwin em 6 de abril de 1929, em Berlim, filho de um pianista amador. Garoto prodígio, entrou no Conservatório de Berlim aos 6 anos. Como seu pai era um advogado judeu polonês, a família fugiu para Paris em 1938 para escapar da perseguição nazista.

Antes de mudar para Los Angeles, onde estudou com o célebre compositor e maestro Mario Castelnuovo-Tedesco, Previn teve aulas em Paris com Marcel Dupré. Ele se tornou cidadão americano em 1943. Vinte anos depois era um dos mais requisitados músicos pelos estúdios de Hollywood. Em 1963, por exemplo, foi o maestro e supervisor musical da versão cinematográfica de My Fair Lady, com canções assinadas por Frederick Loewe e Alan Jay Lerner.

Ópera e composições teatrais
Previn também se aventurou pela ópera. E não foi nada modesto. Próximo de virar um septuagenário, adaptou para o palco a mais clássica peça de Tennessee Williams, Um Bonde Chamado Desejo, tendo Renée Fleming no papel de Blanche Dubois, que estreou na Ópera de São Francisco em 1988.

A segunda ópera não foi baseada num texto teatral, mas num filme, Brief Encounter (Desencanto), escrita em 2007 com base no roteiro que Noël Coward assinou para o filme homônimo dirigido por David Lean.

Por vezes comparado a Leonard Bernstein, que também compôs para o cinema e o teatro, André Previn tinha como ele o gosto pela orquestração brilhante – e por vezes autoral demais, como os arranjos que fez para a música de Tchaikovski na cinebiografia dirigida por Ken Russell, The Music Lovers (Delírio de Amor, 1970), em que acentua o tom melodramático da produção britânica.

Um de seus grandes momentos no cinema raramente lembrado é a trilha de Inside Daisy Clover (À Procura do Destino, 1965), filme dirigido por Robert Mulligan em que Natalie Wood canta You Gonna Hear From Me, que Previn compôs em parceria com uma de suas ex-mulheres, Dory Previn, morta em 2012. É da dupla a canção-tema de um filme vagabundo que virou cult, O Vale das Bonecas. Foi gravada por cantoras de diferentes perfis, entre elas Dionne Warwick e K.D. Lang.

Últimas notícias