*
 

Kendrick Lamar ganhou um novo prêmio para fazer companhia aos seus 12 Grammys: o rapper foi reconhecido com um Pulitzer, tradicional premiação americana que valoriza jornalistas, fotógrafos, músicos e autores de livros. O rapper recebeu US$ 15 mil da fundação por seu álbum DAMN., lançado em 2017 e vencedor de cinco Grammys.

A marca do Pulitzer representa muito na história do hip-hop norte-americano: Lamar foi o primeiro rapper a ganhar o prêmio. Aliás, antes dele, apenas álbuns de jazz e de música clássica haviam sido reconhecidos pela instituição. Músicos populares como Bob Dylan, Duke Ellington, George Gershwin, Thelonious Monk, John Coltrane e Hank Williams foram laureados com honras especiais, mas nunca venceram o prêmio.

O disco foi aclamado por crítica e público. Entre álbuns físicos e digitais, DAMN. vendeu mais de 4 milhões de cópias somente nos Estados Unidos. A obra de Lamar é marcada por forte conteúdo político, explorando temáticas como negritude, cultura de rua, brutalidade policial, sobrevivência e amor próprio.

“A gravação, lançada em 14 de abril de 2017, é uma coleção de canções virtuosas unificadas por sua autenticidade de vernáculos e dinamismo rítmico que oferece vinhetas que capturam a complexidade da vida do afro-descendente americano moderno”, informou o conselho do Pulitzer no anúncio do vencedor.

Em outubro de 2016, outra figura da cultura popular ganhou um prêmio geralmente dedicado a acadêmicos: Bob Dylan levou o Nobel de Literatura por seu conjunto da obra. Na justificativa, o conselho informou que a honraria lhe foi conferida “por ter criado novas expressões poéticas dentro da grande tradição musical americana”.