Oscar 2020: livros inspiraram filmes na disputa pela estatueta

Um deles é Adoráveis Mulheres, o filme de Greta Gerwig, uma adaptação do clássico de Louisa May Alcott

Sony Pictures/Divulgação

atualizado 15/01/2020 15:42

Pelo menos 4 filmes entre os indicados ao Oscar 2020 foram inspirados em livros (ou outros textos), e boa parte deles está disponível em edições brasileiras, traduzidas.

Adoráveis Mulheres, o filme de Greta Gerwig, é uma adaptação do clássico de Louisa May Alcott sobre uma história de mulheres no contexto da Guerra Civil Americana. Jojo Rabbit, inspirado no livro de Christine Leunens, conta a história de um garoto que inocentemente abraça a propaganda nazista. Dois Papas, dirigido por Fernando Meirelles, é inspirado no livro de Anthony McCarten, também autor do roteiro. E a lista continua.

Veja a seguir os filmes do Oscar 2020 inspirados em livros:

Filme: Adoráveis Mulheres
Indicações ao Oscar 2020: Melhor filme, melhor atriz (Saoirse Ronan), melhor atriz coadjuvante (Florence Pugh), melhor roteiro adaptado, melhor figurino, melhor trilha sonora
Livro: Mulherzinhas, de Louisa May Alcott
Edições brasileiras: Editora José Olympio (322 págs., R$ 39,90, traduzido por Maryanne Linz); L&PM (332 págs.; R$ 28,90, traduzido por Denise Bottmann e Frederico Carotti); Via Leitura (464 págs.; R$ 53,90, traduzido por Giu Alonso e Daniel Moreira); Martin Claret (680 págs,; R$ 69,90, traduzido por Diego Raigorodsky); Zahar (600 págs.; R$ 89,90, traduzido por Bruno Gambarotto); Planeta (480 págs.; R$ 59,90, traduzido por Marina Dela Valle); Penguin (592 págs.; R$ 59,90, traduzido por Julia Romeu).
Roteiro: Greta Gerwig
Sinopse do livro: Inspirada em sua própria trajetória, Louisa May descreve neste clássico a vida da família March, que, durante a Guerra Civil Americana, se depara com a partida de seu patriarca, deixando em casa a mulher e quatro filhas. Uma delas, Jo, opta pela carreira como escritora em vez de um casamento arranjado. As aventuras das irmãs, a saudade do pai que está na guerra, as doenças da época e a dificuldade que quatro mulheres enfrentavam naquela sociedade são reveladas para o leitor.

Divulgação
Jojo Rabbit (Estreia nos cinemas brasileiros em 6/2)

Filme: Jojo Rabbit
Indicações ao Oscar 2020: Melhor filme, melhor atriz coadjuvante (Scarlett Johansson), melhor roteiro adaptado, melhor figurino, melhor direção de arte, melhor edição
Livro: O Céu Que Nos Oprime, de Christine Leunens
Edição brasileira: Bertrand Brasil, 252 págs., R$ 42,90, traduzido por Roberto Muggiati
Roteiro: Taika Waititi
Sinopse do livro: Como muitos meninos austríacos na época da anexação da Áustria ao Reich alemão, no fim da década de 1930, Johannes Betzler abraça inocentemente a propaganda nazista. Integrante da Juventude Hitlerista, ele descobre que seus pais estão escondendo uma jovem judia, Elsa Kor, atrás de uma parede falsa em sua casa, em Viena. Seu horror inicial vira interesse, depois amor e obsessão. Após o desaparecimento de seus pais, Johannes descobre que ele é a única pessoa ciente da existência de Elsa e único responsável por sua sobrevivência. Manipulando e sendo manipulado, Johannes teme o fim da guerra: com isso virá a perspectiva de perder Elsa e um relacionamento que varia entre paixão e obsessão, dependência e indiferença, amor e ódio.

Filme: Dois Papas
Indicações ao Oscar 2020: Melhor ator (Jonathan Pryce), melhor ator coadjuvante (Anthony Hopkins), melhor roteiro adaptado
Livro: Dois Papas, de Anthony McCarten
Edição brasileira: BestSeller, 252 págs., R$ 39,90
Roteiro: Anthony McCarten
Sinopse do livro: Em Dois Papas, o escritor e roteirista Anthony McCarten faz um exame da Igreja Católica e seus dois recentes líderes. O autor navega por todas as teorias a respeito da decisão chocante do papa Bento XVI de renunciar ao papado em 2013 e como papa Francisco lidou com sua inesperada chegada ao poder. Com sua renúncia, Bento, um grande defensor do conservadorismo e visto como o homem mais convencional da Igreja Católica, causou espanto não só aos membros da Igreja, como também à imprensa e à população.

Filme: O Irlandês
Indicações ao Oscar 2020: Melhor filme, melhor diretor, melhor ator coadjuvante (Zoe Pesci e Al Pacino), melhor roteiro original, melhor fotografia, melhor figurino, melhor direção de arte, melhor edição, melhor efeitos visuais
Livro: O Irlandês: Os Crimes de Frank Sheeran a Serviço da Máfia, de Charles Brandt
Roteiro: Steven Zaillian
Sinopse do livro: A história de Frank Sheeran temos acesso aos bastidores de um matador de aluguel, que discorre também sobre outros notórios assassinatos e proporciona uma rara visão de como funciona a Máfia. Ao longo de quase cinco anos de entrevistas gravadas, Frank Sheeran confessou que fora responsável por mais de vinte e cinco assassinatos a serviço da Máfia, incluindo o de seu amigo Hoffa. Sheeran aprendeu a matar enquanto esteve no Exército dos Estados Unidos; ao voltar para casa, ele se tornou um assassino de aluguel, trabalhando para o lendário chefão do crime Russell Bufalino.

Filme: O Caso de Richard Jewell
Indicações ao Oscar 2020: Melhor atriz coadjuvante (Kathy Bates)
Texto: American Nightmare: The Ballad of Richard Jewell, artigo de Marie Brenner publicado em 1997 na revista Vanity Fair
Roteiro: Billy Ray
Sinopse: O segurança americano Richard Jewell salva milhares de vidas de uma de um atentado a bomba na Olímpiada de 1996, em Atlanta, mas é vilanizado por jornalistas e pela imprensa que o acusam falsamente de ser um terrorista.

Filme: Um Lindo Dia na Vizinhança
Indicações ao Oscar 2020: Melhor ator coadjuvante (Tom Hanks)
Texto: Can You Say … Hero?, artigo de Tom Junod, publicado em 1998 na revista Esquire
Roteiro: Noah Harpster, Micah Fitzerman-Blue
Sinopse: O filme conta a história da amizade real entre a personalidade de TV Fred Rogers e o jornalista Tom Junod.

Últimas notícias