Grupo do DF pede exoneração imediata de Sérgio Camargo em nota de repúdio

O Coletivo de Culturas Populares repudia as falas do presidente da Fundação Cultural Palmares contra Zumbi dos Palmares

Reprodução/Facebook

atualizado 03/06/2020 15:44

O Coletivo de Culturas Populares do Distrito Federal divulgou uma nota de repúdio sobre as manifestações do presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Camargo, contra Zumbi dos Palmares, símbolo da resistência negra do Brasil. Na publicação, eles citam “total total desrespeito às lideranças de religiões de matriz africana”.

Camargo publicou, em 13 de maio, uma série de artigos que questionam o personagem que dá nome à autarquia. O conjunto de textos, que cita autores como Laurentino Gomes e um dos gurus do bolsonarismo Olavo de Carvalho, indica o personagem Zumbi como uma “mentira histórica”. Há artigos que citam o personagem como homossexual e produto da esquerda comunista no Brasil.

0

“Zumbi foi morto. Sua cabeça foi decepada, salgada e levada para Recife, tendo sido exposta publicamente para servir de exemplo a outros negros que ousassem fugir. Depois disso, Zumbi foi castrado e teve o pênis enfiado dentro da boca, uma forma antiga de humilhar os homossexuais. Mas disso o Movimento Negro faz silêncio sepulcral, pois é conveniente que o mito etnocultural do libertador dos negros seja viril, palavra que, como lembra Olavo de Carvalho no artigo Causas Sagradas, tem no latim a mesma origem de “virtude” e “varão”, diz o texto de autoria de Mayalu Felix, no qual ela narra o que teria ocorrido após a morte de Zumbi.

Na nota divulgada, os assinantes ainda “exige a imediata exoneração de Sérgio Camargo do cargo de presidência da Fundação Palmares, patrimônio do povo brasileiro”.

Assinam o documento o Circuito de Culturas Populares, Centro de Tradições Populares de Sobradinho, Centro Tradicional de Invenção Cultural, Bumba Maria Meu Boi, Quadrilha Pinga em Mim, Bando Matilha Capoeira, Bumba Maria Meu, Casa Moringa, Barba Na Rua, No Setor, Templo Rosa Branca, Mamulengo Fuzuê, Mamulengo Sem Fronteiras, Jornal Jararaca, Pareia Comunicação, Setor Carnavalesco, Sereia Luzia da Estrela Molhada, Associação de Percussão BATALÁ, Rede Afrobrasileira Sociocultural, Instituto Invenção Brasileira e Orquestra Marafreboi.

Confira a nota na íntegra:

“O Coletivo de Culturas Populares do Distrito Federal repudia com veemência as manifestações proferidas pelo presidente da Fundação Cultural Palmares, no último dia 30 de abril, durante reunião com assessores, na qual Sérgio Camargo insulta e ataca gravemente a dignidade, integridade e honra de Zumbi dos Palmares, símbolo da resistência negra do Brasil escravocrata, e de uma respeitada Yalorixá do DF, demonstrando total desrespeito às lideranças de religiões de matriz africana. Ainda na ocasião, Camargo direcionou ofensas e menções degradantes ao movimento negro, desmoralizando sua atuação no país e à Capoeira, expressão cultural afro-brasileira, símbolo de resistência e Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

As declarações, somadas a uma série de posicionamentos anteriores caracterizados por um forte viés racista, são absolutamente incompatíveis e contrárias aos interesses defendidos pela Fundação Cultural Palmares, instituição pública voltada para promoção e preservação dos valores culturais, históricos, sociais e econômicos decorrentes da influência negra na formação da sociedade brasileira.

Assim, por representar uma conduta atentatória aos princípios fundamentais adotados pela República Federativa do Brasil e por oferecer resultados danosos à sociedade brasileira o Coletivo exige a imediata exoneração de Sérgio Camargo do cargo de presidência da Fundação Palmares, patrimônio do povo brasileiro”.

Últimas notícias