*
 

Antes mesmo da inauguração de Brasília e da construção dos monumentos desenhados pelo arquiteto Oscar Niemeyer, a cidade já investia em suas primeiras relíquias arquitetônicas. Foram construídas, ao longo da década de 1950, casas e igrejas de madeira em acampamentos de trabalhadores focados em pôr de pé a nova capital.

Ao menos nove edifícios, que serviram de prenúncio à vocação que Brasília tinha para as artes, sobreviveram até os dias de hoje. É possível, com um pouco de paciência e bastante gasolina, visitar todos eles em um dia. Para ajudar, o curioso aventureiro pode contar com o “Roteiro dos acampamentos pioneiros do Distrito Federal”, produzido pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

No roteiro publicado pelo Iphan pode-se conhecer a história dos locais, sua importância enquanto acervo artístico e detalhes sobre a manutenção dos prédios ao longo dos anos. Além disso, há registros fotográficos dos prédios feitos no passado (alguns deles datados da inauguração). Para facilitar a visita aos locais, o documento aponta os pontos turísticos em mapas do Distrito Federal.

ARPDF/Divulgação

O Museu da Memória Viva Candanga, que funcionou como hospital e delegacia, faz parte do roteiro turístico

O circuito passa por nove espaços localizados em seis Regiões Administrativas. Estão lá pontos famosos como o Palácio do Catetinho (Park Way) e também os pouco conhecidos, como a Igreja São Geraldo (Vila Paranoá). Apesar de não haver muitos serviços turísticos em volta dos edifícios históricos, boa parte deles está aberto ao público e se encontra em bom estado de conservação.

Mais do que contar a história da capital e ter valor afetivo para os moradores da cidade, os espaços preservados apresentam importância artística. De acordo com o Iphan, as “edificações de madeira que, via de regra, tinham feição rústica, traziam consigo parte dos preceitos do racionalismo modernista, com suas linhas sóbrias e livres de ornamentações”.

 

 

 

COMENTE

TurismoroteiroCatetinhoIgrejasmuseu da memória viva candangafazendinhacircuito turístico
comunicar erro à redação

Leia mais: Entretenimento