Pedro Bial sobre Democracia em Vertigem: “Ficção alucinada”

O jornalista diz que a narração do filme é "miada" e "insuportável". Ele prefere enxergar o longa de um aspecto psicológico

Divulgação

atualizado 03/02/2020 15:21

O jornalista e apresentador Pedro Bial comentou, nesta segunda-feira (03/02/2020), o documentário Democracia em Vertigem. Para ele, a obra, que foi indicada ao Oscar 2020, é uma “ficção alucinada”.

Em entrevista à Rádio Gaúcha, Bial fez duras críticas ao documentário. ““Eu dei muita risada. É um ‘non sequitur’ (expressão em latim para “não se segue”) atrás do outro. Tira conclusão de que algo leva a outro sem a menor relação causal. O filme vai contando as coisas, me desculpem a expressão, num pé com bunda danado”, avaliou.

Bial diz que a narração do filme é “miada” e “insuportável”. Ele analisou o longa de forma psicanalítica.

“É um filme de uma menina dizendo para mamãe dela que fez tudo direitinho, que ela está ali cumprindo as ordens e a inspiração de mamãe, somos da esquerda, somos bons, não fizemos nada, não temos que fazer autocrítica. Foram os maus do mercado, essa gente feia, homens brancos que nos machucaram e nos tiraram do poder, porque o PT sempre foi maravilhoso e Lula é incrível”, afirmou.

O jornalista, no entanto, entende que o longa tem chances de ganhar o Oscar. “Depois que vi Indústria Americana, acho que a academia dá o prêmio ao filme brasileiro”, concluiu.

Últimas notícias