Liga da Justiça e Esquadrão Suicida: fãs se dividem sobre novas versões

Estúdios e distribuidoras tentam salvar os filmes que fracassaram na crítica e nas bilheterias com os "cortes dos diretores"

Warner Bros./Divulgação

atualizado 29/05/2020 17:44

O anúncio das versões com os cortes dos diretores Zack Snyder, do filme Liga da Justiça, e David Ayer, de Esquadrão Suicida, movimentou a internet nos últimos dias. Os dois filmes foram muito esperados pelos fãs, mas tiveram um desempenho ruim entre a crítica e nas bilheterias. A versão de 2017 da aliança de heróis da DC rendeu US$ 227 milhões e com a taxa de aprovação de apenas 40% no Rotten Tomatoes. Desempenho similar teve o outro longa da Warner. Na tentativa de dar sobrevida aos títulos, o estúdio apostam na montagem dos diretores.

Tanto Snyder quanto Ayer afirmam que os filmes com seus cortes são diferentes do que foi apresentado em 2017 e 2016, respectivamente. O diretor de Liga da Justiça, inclusive, escreveu no Twitter que o novo longa será completamente mudado. Já seu colega, realizador do fita com trupe de heróis, informou que o público poderá ver mais cenas do Coringa, vivido por Jared Leto.

Apesar de trazer novidades, como novas cenas e possíveis subtramas, a iniciativa carrega, essencialmente, a tentativa de remodelar a imagem dessas produções aos olhos do público – quase como uma segunda chance, dessa vez, no entanto, no streaming. Num primeiro momento, parece funcionar: o Snyder Cut, por exemplo, é visto como a bala de prata da DC para recuperar a fama ruim de Liga da Justiça.

O youtuber Peter Jordan, do canal Ei Nerd, afirmou em um vídeo que tem grandes expectativas. Entre elas, o criador de conteúdo acredita que a chance de aparições do Caçador de Marte e do vilão Darkseid (personagens importantes dentro dos quadrinhos e animações da Liga) é grande. Snyder inclusive compartilhou um story board no Twitter com a aparição do herói marciano e outro com uma edição de Darkseid no lugar do Lobo da Estepe – vilão da edição de 2017.

Peter comenta que a Warner voltou atrás sobre o Snyder Cut ouvindo o pedido do publico. Em novembro de 2019, o estúdio havia decidido não liberar a versão. “É uma vitória não só para o Zack Snyder, mas para os fãs da DC. Essa versão pode consertar furos no roteiro”, explica o youtuber.

Já o colunista Chico Barney não parece ter expectativas positivas quanto a nova versão. Fã dos quadrinhos ele se mostra bastante cético.

“Os fãs clamaram durante meses pelo tal Snyder Cut, e infelizmente serão atendidos. Ainda há uma discussão se acontecerá por intermédio de um longa de 4 horas ou uma minissérie de 6 partes, mas a certeza é que nada poderá salvar aquela tragédia protagonizada por Batman, Superman e Mulher-Maravilha”, comentou em sua coluna no Uol.

O CEO da HBO Max, Bob Greenblatt, afirmou em entrevista concedida ao podcast ReCode Media que a plataforma espera gastar ao menos de US$ 30 milhões. “Não é tão fácil quanto ir ao cofre da Warner e tirar o Snyder Cut de lá. Ele ainda não existe. Zack está trabalhando nisso, e é algo complexo, teremos que fazer novos efeitos especiais. É uma reimaginação radical daquele filme”, antecipa.

0

Últimas notícias