Bloodshot: cinco motivos para ver o novo filme de Vin Diesel

Longa do anti-herói homônimo chega aos cinemas nesta quinta-feira (13/02) tentando seguir os passos de filmes como Deadpool e Logan

Vin Diesel em BloodshotSony Picutes/Divulgação

atualizado 12/03/2020 10:03

Baseado no quadrinho best-seller da editora Valiant, o longa Bloodshot chega aos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (12/03). Protagonizado por Vin Diesel, o filme promete bastante diversão para os fãs de HQs e ação.

Dirigido pelo estreante Dave Wilson, Bloodshot é a mais nova aposta da Sony para o mercado de filmes de heróis. O longa conta a história de origem de Bloodshot, alter-ego de Ray Garrison, um ex-militar que é trazido de volta à vida por uma bilionária empresa do ramo tecnológico. Ele é transformado em um super-soldado através de nanotecnologia.

Na origem, que se parece bastante com as de Wolverine e Capitão América, Garrison passa a ter sua força ampliada e um fator de cura que o torna quase imortal. Mas além do upgrade de seu corpo, a empresa passa a manipular sua mente e memórias. À medida que começa a se lembrar do seu passado, Ray já não sabe o que é real e o que não é – mas está determinado a recuperar o controle.

O Métropoles já assistiu o novo filme e separou cinco motivos para ir aos cinemas e conferir Bloodshot. Veja:

Ação

Vin Diesel arrancando uma porta em Bloodshot

Estreia de Dave Wilson como diretor, o longa é um prato cheio para fãs do gênero. Familiarizado com efeitos visuais, área que comandou em Vingadores: Era de Ultron, Wilson aposta bastante na ação para preencher o roteiro e prender o olhar do espectador.

Em uma das primeiras cenas após a transformação de Ray em Blooshoot, o diretor entrega em um “fake” plano sequência, somado ao slow motion, uma das melhores sequências do filme. No trecho, que se passa em túnel e mostra o militar na caçada ao cientista Axe, é possível ver a capacidade da superforça de Garrison e detalhes de seu fator de cura.

Além disso, o longa lembra bastante filmes de ficção científica da década de 1980, como Exterminador do Futuro e O Vingador do Futuro. Assim como nesses títulos, os dois atos finais de Bloodshot são recheadas de muita correria e porrada – apesar de um CGI fraco no confronto final, a fita entrega uma batalha digna entre o herói e os antagonistas.

Elenco

Guy Pearce

Estrelado por Vin Diesel, o elenco de Bloodshot ainda conta com nomes como Sam Heughan (Outlander), Eiza González (Baby Driver), Guy Pearce (Amnesia) e Lamorne Morris (A Noite do Jogo).

Interpretando o Dr. Emill Harting, cientista que encabeça o projeto de nanotecnologia da RTS, Pearce entrega um pesquisador ainda mais perigoso do que Aldrich Killian, o verdadeiro Mandarim de Homem de Ferro 3, também interpretado por ele. Membros do time de super-soldados de Harting, Sam Heugnhan e Eiza González mostram suas fichas principalmente nas cenas de ação, com destaque para Heughan, um dos únicos a conseguir bater de frente com Bloodshot.

Vin Diesel

Vin Diesel de olhos vermelhos no filme Bloodshot

Quem é fã de Vin Diesel com certeza não pode perder Bloodshot. O astro, que se prepara para o lançamento do nono filme de Velozes e Furiosos pode ter encontrado no papel de Ray Garrison, uma nova franquia para protagonizar quando a série de carros chegar ao fim.

Mesmo que o ator não entregue algo muito diferente de suas atuações anteriores, Diesel traz em Bloodshot um versão turbinada de Cage de Triplo X e Toretto, o que casa muito bem com a proposta do personagem.

Referências a heróis consagrados

A história de origem de Bloodshot lembra bastante as de Wolverine e Capitão América. Assim como os personagens da Marvel, o anti-herói é militar e passa por um projeto de “melhoramento” humano.

No filme, Bloodshot recebe um exército de nanites, nanotecnologias que integram seu sangue e fazem com que ele tenha super-força e uma cura de danos quase instantâneo. Mas isso faz com que ele seja controlado pela empresa que o criou, algo parecido com o projeto Arma X.

Plot Twist

Guy Pearce e Vin Diesel conversando em uma cena do filme Bloodshot

Apesar de ter um roteiro que aposte bastante na ação para conquistar o coração do espectador, Bloodshot tem uma reviravolta bastante útil à trama e que traz questionamentos interessantes sobre o uso das novas tecnologias, fazendo com que o espectador se interesse ainda mais pelo desfecho de Ray e as motivações da empresa RST.

Bônus: Origem

Bloodshot hq

Famoso nos Estados Unidos, Bloodshot não fez tanto sucesso no Brasil e é mais uma aposta da Sony para o mercado cinematográfico de heróis, popular após os sucessos dos longas da Marvel.

Criado em 1992, por Kevin VanHook e Yvel Guichet, Bloodshot fez sua primeira aparição um ano depois, nas páginas da revista Rai #0. O personagem rapidamente virou um dos grandes sucessos da Valiant, ganhando sua própria publicação. Originalmente, a obra se tratava de Angelo Mortalli, um gangster que foi modificado e utilizado no Projeto Espíritos Ascendentes após ser traído pela máfia que trabalhava.

Em 2012, a Valiant promoveu um reboot de todas as suas histórias, criando a origem atual de Bloodshot apresentada na HQ. Nela, Ray Garrison foi ressuscitado para participar do mesmo projeto de seu antecessor, tendo a memória apagada e substituída por lembranças falsas. No processo nanites foram inseridos em seu sangue, lhe dando poderes como regeneração, metamorfose e força sobre humana. Após descobrir seu verdadeiro passado, o soldado parte em busca de respostas e vingança contra aqueles que arruinaram sua vida.

Últimas notícias