Dia Nacional do Forró: seis lugares para dançar o ritmo em Brasília

Durante toda a semana, os forrozeiros do Distrito Federal encontram festas para celebrar o gênero

atualizado 13/12/2018 14:55

Igo Estrela/ Metrópoles

Da formação tradicional, com zabumba, triângulo e sanfona de oito baixos, ao estilo moderno do eletrônico. Não importa a vertente, o forró é um dos mais relevantes ritmos do país. O reconhecimento do segmento como importante retrato cultural do Nordeste veio em 2005, com a instituição do Dia Nacional do ritmo. Comemorado nesta quinta-feira (13/12), a data para a celebração não poderia ser mais propícia: o aniversário de nascimento de Luiz Gonzaga – ícone responsável por popularizar o gênero nas demais regiões do Brasil.

Reduto de milhares de nordestinos, O Distrito Federal guarda um lugar especial para o forró. O Metrópoles selecionou alguns dos melhores eventos dedicados a quem ama dançar. Entre eles, os tradicionais Ispilicute e Forrozim do Minas; o alternativo Forró do B, no Conic; além da aposta de casas como o Poizé, da Asa Norte; e Essence Lounge Bar, na Asa Sul.

Igo Estrela/Metrópoles
Forrozeiros preenchem a pista de dança do Forrozim do Minas

 

Forrozim do Minas
Realizado desde fevereiro deste ano no Minas Tênis Clube (Setor de Clubes Norte), o Forrozim do Minas vem de uma história de 13 anos. Antes conhecida como Forró do Arena, a festa já recebeu ídolos do gênero como Dominguinhos, Geraldo Azevedo e Alceu Valença. Nesta quinta (13), a comemoração será comandada pelo trio Os 3 do Nordeste, donos de um dos hits mais reproduzidos, É Proibido Cochilar.

“O público é bem diversificado, vem gente de todas as regiões do DF, de todas as idades”, garante o idealizador, Gilson Mendes, 53 anos. Para ele, além das atrações de peso, outro chamariz do evento são os professores de dança, que transformam a noite uma aula prática. “Eles fazem o boca a boca com os alunos e isso traz sempre muita gente nova”, conta.

0

 

Estudante de psicologia da Universidade de Brasília (UnB), Letícia Godoy, 24, frequenta o Forrozim do Minas há quatro meses. Moradora do Lago Norte, a universitária viu no evento a oportunidade perfeita para praticar os passos que aprende nas aulas de dança. “Apesar de ter movimentos muito íntimos, o forró é extremamente respeitoso. Os casais não têm segundas intenções, é dança pura e simples”, garante.

Para Letícia, os forrozeiros de plantão estão bem servidos em Brasília. Além da festa no Minas Tênis Clube, a jovem também é assídua no Forró do Trabalhador, às segundas-feiras na Tapiocaria Raízes do Sertão (309 Norte), e no Forró do B, todas às quartas no Conic.

Dançar forró, para mim, tornou-se uma terapia, um momento em que alivio o estresse do dia a dia. A cidade tem muitas opções para a gente curtir e eu acho ótimo

Letícia Godoy

Forró do B
Projeto idealizado em 2017 pela banda brasiliense de mesmo nome, o Forró do B acontece semanalmente na parte central de Brasília. Famosa por tocar o forró tradicional, ou seja, o lado B do ritmo, a banda é formada por Natália Pires, responsável pela voz e percussão, Maísa Arantes, que ocupa o vocal, a rabeca e o pífano, além dos músicos Gabriel Tomé (zabumba) e Marcelo Neder (violão).

“Resgatamos nomes pouco conhecidos do forró pé de serra para o público em geral, trazendo foco para um instrumento hoje em dia menos convencional: a rabeca”, explica Pires. No repertório, o Forró do B traz canções autorais como Meninos do Goiás, Wolverine no Forró, Ligada no Mundo (Marcelo Neder), Livre Louca, Forró Proibido (Natália Pires), Outra Madrugada (Maísa Arantes), entre outras.

Divulgação
Os Três de Maria: da esquerda para a direita, Léo Soares (zambumba), Gerson Martins (triângulo e voz) e Jorge Hainer (sanfona)

 

Forró do Trabalhador
Inspirado pela famosa roda do Rio de Janeiro realizada pelo sambista Moacyr Luz, há três anos o Forró do Trabalhador anima às segundas-feiras de Brasília. A noite acontece na Raízes do Sertão, sempre das 19h às 22h – para se adequar a Lei do Silêncio.

“Queria aproximar os moradores da quadra e consegui. Além da nossa banda, abrimos espaços para outros artistas da cidade, basta chegar e tocar, o que deixa o forró ainda mais democrático”, explica Léo Soares, idealizador e integrante do grupo Os Três Marias.

Forró do Trabalhador – Tapiocaria Raízes do Sertão (309 Norte, Bloco E, lojas 8/9)
Todas às segundas-feiras, a partir das 18h. Ingressos: R$ 6 (couvert artístico). Informações: (61) 3037-9433. Classificação indicativa livre

Terça do Forró 0 no Essence Lounge Bar (404 Sul)
Todas às terças-feiras, a partir de 23h30 às 2h. Entrada franca até as 21h para mulheres. Após, R$ 10 (unissex). Valor sujeito a alteração sem aviso prévio. Reservas: [email protected] Não recomendado para menores de 18 anos

Forró Pé de Serra – no Poizé (305 Sul, Bloco E, subsolo)
Todas às terças-feiras, a partir das 20h. Ingressos: de graça para mulheres até as 20h. Após, R$ 15. Homens até às 20h pagam R$ 10 e após, R$ 25. Valores sujeitos a alteração sem aviso prévio. Informações: (61) 30366863. Não recomendado para menores de 18 anos

Forró do B – na Praça Central do Conic (Setor de Diversões Sul)
Todas às quartas-feiras, a partir das 20h30. Mais informações na fanpage do grupo. Entrada franca. Não recomendado para menores de 18 anos

Forrozim do Minas – no Minas Tênis Clube (Setor de Clubes Esportivos Sul)
Todas às quintas-feiras, a partir das 21h. Ingressos: R$ 20. Valor sujeito a alteração sem aviso prévio. Informações: (61) 2108-7279. Não recomendado para menores de 16 anos

Forró do Ispilicute – no Minas Tênis Clube (Setor de Clubes Esportivos Sul).
Todas às sextas-feiras, a partir das 20h. Ingressos: R$ 25 até às 23h30. Após, R$ 35. Pagamento somente no dinheiro. Para estacionar dentro do clube, acréscimo de R$ 5. Valor sujeito a alteração sem aviso prévio. Informações: Érika: (61) 99320-2526 ou Rafael: (61) 98464-1730. Não recomendado para menores de 18 anos

Últimas notícias