Áudios, anticristo e maconha: entenda a confusão da “Fernanda da PUC”

A tag "Fernanda da PUC" foi parar nos assuntos mais comentados da rede social nesta sexta (19/8)

atualizado 19/08/2022 20:39

Foto de celular aberto no perfil do Twitter do empresário Elon Musk sob fundo em azul do logo da rede social - MetrópolesNurPhoto/ Colaborador/Getty Images

Quem abriu o Twitter nesta sexta-feira (19/8) sem dúvidas se deparou com uma série de áudios atribuídos a uma menina que se chamaria Fernanda e estudaria na Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC). A tag “Fernanda da PUC” foi parar nos assuntos mais comentados da rede social e rolou, inclusive, pronunciamento da jovem sobre os áudios que, segundo ela, foram vazados por uma das partes envolvida em toda a confusão.

Acontece que, de acordo com os áudios, a mãe da estudante não teria gostado de descobrir que a filha, que seria estudante de psicologia na universidade paulista, estaria fumando maconha e decidiu mandar áudios desaforados ao jovem com quem a menina estava se relacionando.

“Aqui é a mãe da Fernanda. Não sei se você sabe, mas ela é de um poder aquisitivo muito alto e você é um bosta, entendeu? Por isso que ela vai sair da faculdade de psicologia, porque a gente tirou ela de lá pra não andar mais com gente que nem você, maconheiro, crackeiro, e eu vou contar pra tua mãe tudo que você é, viu seu bosta, ignorante. Ela tá perdendo uma faculdade porque ela é uma idiota que nem você, ela é igualzinha você. Então a gente quer tirar ela desse meio para ela não falar assim que nem você [sons aleatórios], assim, entendeu, palhaço”, diz o início da gravação.

Acompanhado de uma série de xingamentos, a mulher que diz ser mãe da estudante chama o jovem — não identificado — de “maconheiro”, “marginal”, usa a palavra “anticristo” para se referir a alguns estudantes e mais. Ouça todos os áudios que circulam na internet:

A estudante, que está sendo chamada de “Fernanda da PUC”, se pronunciou nas redes sociais após a repercussão do caso. Por meio de seus Stories do Instagram, ela alega que “nunca fumou maconha” e que os áudios foram vazados “pelo individuo que os recebeu, pois apenas ele tinha acesso a isso”.

No posicionamento, Fernanda diz que se envolveu com um “cara que fazia curso de veterinária” e, em certo momento, seus pais olharam suas conversas pessoais e notaram que o jovem supostamente fazia usa da maconha. “Como já estávamos passando por diversos problemas em casa, ela acabou mandando os áudios”, afirmou.

Veja o posicionamento completo:

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Mais lidas
Últimas notícias