Vídeos: DF Legal recolhe pertences de moradores de rua do Setor Comercial

Ação ocorreu na manhã deste sábado (19/9). Uma mulher foi presa por desacato. Instituto reclama da atuação

atualizado 19/09/2020 21:27

políciaReprodução

Moradores de rua do Setor Comercial Sul (SCS) tiveram os pertences levados neste sábado (19/9), durante uma ação da Secretaria de Estado de Proteção da Ordem Urbanística (DF Legal). Com o apoio da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) e do Departamento de Trânsito (Detran-DF), caminhões levaram colchões, bicicletas e comida dos sem-teto.

O fundador do Instituto No Setor, Felipe Velloso, foi ao local acompanhar a retirada. Segundo ele, várias ações do GDF vinham acontecendo ao longo das últimas três semanas no intuito de retirar os moradores do local.

“Basicamente estavam oferecendo para tirar identidade, e ainda tinha que pagar. Trabalhamos lá há anos. Não é em menos de um mês que você tira toda uma população de lá”, conta.

Confira os vídeos:

Segundo ele, não houve espaço para negociação durante o recolhimento. Os agentes da DF Legal chegaram e acordaram as pessoas. “Só diziam para pegar a identidade. Levaram os cobertores, camas, barracas e até as bicicletas que muitos usam para trabalhar de entregadores, que nós mesmos doamos”, lamenta.

Apesar disso, ele não crê que essa retirada surtirá efeito prático. “Essas pessoas querem morar lá. São poucos os que querem sair. Sei que na hora do almoço já levaram comida para eles e, até a noite, com certeza, mais doações de cobertores e colchões devem chegar”, explica.

Na quinta-feira (17/9), uma outra ação contra vendedores ambulantes no SCS havia sido realizada.

0

O que diz o GDF

A PMDF informou que agiu na ação para “resguardar a integridade física dos agentes e retirar objetos que possam ser usados como arma”. A corporação ainda informou que, no começo da ação, uma pessoa foi presa por desacato e resistência.

Já o GDF informou que a ação faz parte da segunda fase do trabalho realizado por diversos órgãos para revitalização do SCS, com o que chamam de “retirada de instalações irregulares”.

Segundo o governo, o DF Legal é responsável pelo recolhimento de barracas e demais estruturas instaladas por famílias em situação de rua, “que poderão ser encaminhadas para centros de atendimento e acolhimento oferecidos pelo governo local”.

Com relação aos pertences, eles foram “levados ao depósito da pasta, onde ficarão passíveis de devolução”. Não foi informado se houve uma identificação dos materiais para posterior recuperação.

A nota enviada ainda defende que também são oferecidos “suporte e ajuda humanitária, por meio da Subsecretaria do Sistema de Defesa Civil, vinculada à Secretaria de Segurança Pública do DF (SSP/DF)” com cadastramento de pessoas para recebimento de cestas básicas, colchões e cobertores para aqueles que tenham endereço físico.

De acordo com o texto, nas primeiras semanas da ação, a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) emitiu 120 carteiras de identidades no período. Já a Defesa Civil cadastrou 21 pessoas para entrega de cestas básicas e de cobertores.

“No total, mais de 2 mil pessoas foram atendidas pelos órgãos de governo, incluindo abordagens sociais, encaminhamentos para comunidades terapêuticas, atendimento a usuários de drogas, testes para Covid-19 e outras doenças. Além de cadastro no Sistema Público de Emprego, suporte para recebimento de benefícios, orientações sobre programas habitacionais, atendimento jurídico e psicossocial, entre outros.”

Últimas notícias