Vídeo. Homem entra em UBS sem máscara, manda servidora “tomar no c*” e é preso

Ofensor ainda disse que não se importaria de ser processado. Ele foi preso em flagrante

atualizado 30/09/2021 22:24

Reprodução

Um homem foi preso depois de ofender uma servidora da Secretaria de Saúde de “vagabunda”, mandá-la “tomar no cu”, mostrar o dedo do meio e afirmar que ela era “petista”. A revolta do agressor aconteceu depois que a técnica de enfermagem Daniely Paz pediu para ele usar máscara dentro da unidade de saúde.

A mulher gravou em vídeo o momento das agressões, na noite dessa quarta-feira (29/9), na Unidade Básica de Saúde (UBS) 1 do Paranoá. No momento que as imagens foram registradas, um vigilante da unidade de saúde já tinha chegado para prestar apoio à servidora.

Ainda assim, o homem revoltado mostra agressividade ao bater com a mão aberta no balcão de atendimento e afirmar que “não se importa com processo”.

Veja:

“O cidadão entrou para pedir informações, mas estava sem máscara. Como profissional da saúde, pedi pra ele colocar a máscara, mas na hora ele começou a me xingar”, explicou Daniely. No momento que os ataques tiveram início a servidora estava sozinha, mas começou a mandar mensagens para o esposo.

“Depois, apareceu um vigilante e ele chamou uma viatura da polícia que estava perto. Os policiais deram voz de prisão a ele [ofensor]”, contou a técnica de enfermagem. O homem foi levado à 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá).

“Na verdade, isso tem acontecido com muita frequência na UBS em que eu trabalho”, desabafou a servidora. Ela explica que desde o começo da pandemia, a UBS tem horário estendido, com um médico, um enfermeiro e o recepcionista. “Todos os dias está acontecendo isso, a gente conseguiu achar uma viatura no meio da rua, mas foi por acaso, não temos segurança”, afirmou Daniely.

Metrópoles noticiou nessa quarta-feira que um homem de 70 anos socou o rosto de uma técnica de enfermagem na UBS 1 de Vicente Pires.

Questionada, a Secretaria de Saúde afirmou que, devido aos últimos acontecimentos, com frequentes agressões de usuários aos servidores nas unidades de saúde, está sendo providenciado reforço na segurança.

“A pasta lamenta que, em seus locais de trabalho, servidores sejam agredidos física ou verbalmente, e ressalta que desacato a servidor público no desempenho de suas funções pode configurar crime, previsto no código penal”, finalizou a pasta.

Últimas notícias