Verba do Prato Cheio será depositada para 31 mil famílias do DF. Saiba data

O crédito no valor de R$ 250 visa garantir a segurança alimentar e nutricional de pessoas em vulnerabilidade na capital da República

atualizado 30/10/2020 20:05

Pessoa em situação de vulnerabilidadeRafaela Felicciano/ Metrópoles

O Governo do Distrito Federal (GDF) vai depositar na conta de 31.040 famílias o benefício do Cartão Prato Cheio referente ao mês de outubro. A previsão é de que o auxílio, no valor de R$ 250, esteja disponível na próxima terça-feira (3/11). A folha de pagamento do mês ficou em R$ 7,7 milhões.

O benefício é destinado à aquisição de itens do gênero alimentício, como forma de garantir alimentação às famílias em situação de insegurança alimentar e nutricional no Distrito Federal, principalmente neste período de pandemia da Covid-19.

Antes da crise sanitária, cerca de 8 mil cestas de alimentos in natura eram distribuídas para as famílias nessa situação na capital. Em maio, em decorrência do isolamento social, foi lançado o Cartão Prato Cheio como forma de atender à população que estava em risco nutricional, tendo um aumento de mais de 280% na concessão do benefício.

Para a secretária de Desenvolvimento Social, Mayara Noronha Rocha, a alta procura pelo benefício foi motivada pela situação econômica do país, agravada com a pandemia. “O GDF não tinha previsão orçamentária para esse aumento no número de benefícios. Mas, desde então, as áreas econômica e social do governo estão trabalhando para atender ao maior número de famílias”, afirmou.

0
Novos benefícios

Para a inclusão de novos beneficiários, o governo estuda formas de priorizar as famílias que sejam monoparentais, chefiadas por mulheres, com crianças de até 6 anos; famílias com pessoas com deficiência; com pessoas idosas; e em situação de rua.

Quem fez a solicitação do benefício e não buscou seu cartão precisa deve acessar o portal do renda emergencial e verificar para qual agência do Banco de Brasília (BRB) deve se dirigir.

Para os que precisarem tirar dúvidas, há um número de WhatsApp exclusivo para isso: (61) 99451-2943.

* Com informações da Agência Brasília.

Últimas notícias