Variante de Covid-19 no DF: “Cuidados devem ser mantidos”, diz Okumoto

O secretário de Saúde do DF ressaltou que o a confirmação da Fiocruz precisa ser via Lacen para que o governo tenha conhecimento oficial

atualizado 16/02/2021 17:45

coronavírusRicardo Wolffenbuttel/Governo de SC/Divulgação/ND

Após dados da Fiocruz confirmarem a variante britânica do coronavírus em Brasília, o secretário de Saúde do Distrito Federal, Osnei Okumoto, reforçou que os cuidados preventivos contra a Covid-19 precisam ser cumpridos.

“Ainda não temos essa informação oficialmente. Precisamos receber as informações via Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-DF), mas reforço que os cuidados devem continuar a ser tomados: uso de máscara, distanciamento social”, ressaltou o titular da pasta ao Metrópoles.

Segundo Okumoto, o laboratório de referência nacional é o Instituto Adolfo Lutz, mas o DF “está checando essas amostras que foram analisadas na Fiocruz”, afirmou.

De acordo com a tabela de dados da Fiocruz chamada Demonstrativo de Linhagens e Genomas Sars-CoV-2, a variante B.1.1.7 foi identificada em uma das 11 amostras enviadas à instituição. Ainda não há informações sobre a data das ocorrências ou sobre os pacientes infectados.

O procedimento é que casos suspeitos de novas variantes sejam encaminhados ao Lacen-DF.

Casos também no Entorno

Há três dias, dois casos da variante britânica do novo coronavírus foram confirmados em Valparaíso de Goiás e em Luziânia, cidades goianas localizadas no Entorno do Distrito Federal.

Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) confirmou os casos, após ser notificada pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs).

Últimas notícias