*
 

Mais de um ano depois do fim da tarifa de contingência, que sobretaxou a conta de água dos brasilienses em até 40%, a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do Básico do Distrito Federal (Adasa) autorizou a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal  (Caesb) a utilizar R$ 6,1 milhões em obras para melhorar o sistema de abastecimento. A decisão foi publicada no Diário Oficial do DF nesta quinta-feira (14/6) e consta na Resolução n° 14, de 13 de junho de 2018.

Segundo o governo, os recursos serão destinados à interligação do sistema Torto-Santa Maria ao de Sobradinho-Planaltina, com implantação de uma subadutora (R$ 4,5 milhões). Vão ainda para adequações e interligação na estação elevatória Lago Norte 2 (R$ 400 mil). A reserva para custos adicionais será de R$ 1,2 milhão.

A tarifa de contingência foi criada em outubro de 2016 para conter o consumo durante a escassez hídrica. Desde a adoção da medida, que rendeu mais de R$ 30 milhões aos cofres públicos, consumidores, Defensoria Pública e Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) travaram uma batalha judicial para derrubá-la.

Os recursos arrecadados só podem ser utilizados em obras que aumentem a captação e incrementem o abastecimento. A tarifa foi extinta em maio do ano passado.