*
 

Seis dias após uma composição do metrô descarrilar na chegada à Estação Arniqueiras, sentido Plano Piloto, o sistema voltou a apresentar problemas, por volta das 8h desta terça-feira (6/3). Usuários reclamaram nas redes sociais que tiveram de desembarcar na Estação Águas Claras para seguir viagem em outro trem, pois o vagão em que estavam apresentou problemas. O sistema, entretanto, não foi impactado e não registrou atrasos.

Segundo o Metrô-DF, um trem apresentou falha no compressor, equipamento que faz parte do sistema pneumático, e os passageiros precisaram descer para seguir viagem em outra composição.

Ainda de acordo com a companhia, a falha ocorreu em um trem que seguia no sentido Plano Piloto. O veículo foi levado para manutenção.

Fora dos trilhos
Na última quarta-feira (28/2), um trem descarrilou na chegada à Estação Arniqueiras. Não havia passageiros no momento do acidente, que ocorreu na zona de manobras, porque a profissional responsável por guiar a composição percebeu algo errado e pediu a evacuação.

De acordo com Carlos Alexandre da Cunha, diretor do Departamento de Operação e Manutenção do Metrô-DF, dois trens apresentaram falhas no freio durante o trajeto, o que pode ter causado o descarrilamento.

 

Os transtornos provocados devido a problemas no metrô têm se tornado cada vez mais frequentes. No ano passado, os 150 mil brasilienses que usam o sistema diariamente enfrentaram em média uma falha a cada cinco dias.

Em 2017, a Companhia do Metropolitano registrou 73 falhas. O número é maior do que o computado em 2016 (56) e em 2015 (48). Em 2018, contando com a de quarta, são oito.

Conforme informações da Companhia do Metropolitano do DF, estão em andamento processos para a aquisição de peças e para revitalização de subsistemas para os trens mais antigos, além da implementação de melhorias nas atividades de manutenção.