*
 

A gratuidade no transporte público para os estudante brasilienses é assegurada pela Lei Distrital nº 4.462/2010, a chamada Lei do Passe Livre. Mas centenas de beneficiários têm encontrado dificuldades para retirar o cartão que garante o livre acesso ao sistema de transporte coletivo. Problema intensificado com a migração dos serviços de cadastramento e recadastramento dos estudantes dos postos fixos do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) para a internet. Se antes era preciso enfrentar longas filas para buscar os cartões, agora, os usuários apontam falhas na divulgação das listas de retirada.

O estudante Willian Matos Ferreira, 21 anos, enfrenta o processo de cadastramento do passe livre pela segunda vez. Desde 6 de dezembro ele está sem o cartão. “Fui usar e apareceu a mensagem de bloqueado. Da primeira vez, eu perdi o cartão. Mas agora a culpa é deles, da faculdade ou do DFTrans, não sei. Nas duas vezes, a espera para resolver todo o problema passou de três meses”, reclama o jovem.

Ele conta que, ao perceber o bloqueio em dezembro, enfrentou filas em postos do DFTrans para saber o que tinha acontecido. Mas só na sede do órgão descobriu que seu nome não constava na lista de alunos de sua universidade, a Unip, que teriam direito ao benefício. Assim, o DFTrans entendeu que William não estava estudando e suspendeu o benefício. “O que é muito estranho, porque minha matrícula sempre esteve ativa”, comenta o estudante.

O jeito foi pedir, em fevereiro, a segunda via do passe livre. Em março, William recebeu a validação dos documentos entregues, mas ainda não sabe que dia estará com o cartão em mãos. O jeito, por enquanto, é gastar R$ 16 por dia – uma média de R$ 350/mês – em transporte.

Quatro meses de espera
Para o universitário Arthur Rodrigues Melo, 22 anos, a espera pela segunda via do cartão já dura quatro meses. Ele e a namorada registraram queixas na ouvidoria do DFTrans com uma semana de diferença: embora tenha reclamado por último, o nome dela já apareceu na última listagem divulgada pelo órgão. Arthur segue aguardando e tem evitado usar o transporte público.

“Tenho gastado, em média, uns R$ 15 por dia nesses quatro meses. Agora, tento ao máximo fazer trajetos a pé para economizar, já que não tenho renda fixa. Então, às vezes tenho que ir andando da rodoviária (do Plano Piloto) para a UnB (Universidade de Brasília), e da UnB pra a rodoviária”, detalha.

Angustiada, a cuidadora de idosos e estudante do curso técnico de enfermagem Nezivanha Soares Porto, 42 anos, aguarda por seu cartão praticamente desde o Natal. “Meu cadastro foi aprovado em 26 de dezembro e até hoje não apareceu em nenhuma lista. Toda semana vou aos postos de atendimento, foi assim que descobri que estou aprovada, e nada”, detalha. Espera angustiante também para o estreante no cadastro do DFTrans Erick Ribas Dutra Torrezan, 20 anos. “Solicitei o cartão em fevereiro, e no dia 16 de março recebi um e-mail dizendo que meu cadastro havia sido aprovado. Olhei em todas as listas desde então e meu nome não está lá”, diz, desapontado.

Convocações semanais
Em nota ao Metrópoles, o DFTrans informa que as convocações para retirada dos cartões de passe livre são feitas todas as semanas. Em abril, 11.438 estudantes já foram convocados. As listas podem ser conferidas no site do Passe Livre Estudantil, e elas também são enviadas pelo DFTrans para os e-mails cadastrados pelos candidatos ao benefício.

Segundo o DFTrans, o estudante Erick Ribas Dutra será contemplado na próxima lista, a ser divulgada até semana que vem. Quanto a Arthur Rodrigues Melo e Nezivanha Soares Porto, a autarquia informou que os nomes estarão nas listas seguintes. Já Willian Matos Ferreira deve solicitar à instituição de ensino em que estuda uma declaração de matrícula atualizada e enviá-la pelo próprio site do Passe Livre Estudantil. Assim, ele terá o cartão liberado para entrega.

A autarquia acrescenta que os estudantes devem ficar atentos para a indicação de pendências pelo órgão, como envio de documentação incompleta: essas indicações podem ser vistas (e resolvidas) no espaço “Acompanhe seu Cadastro”, no próprio site do passe livre. Além disso, observa o órgão, o estudante deve ficar de olho em seu e-mail e nas convocações divulgadas no site para não perder o prazo de retirada do cartão.