Coronavírus: MPDFT sugere suspensão de pagamento em dinheiro nos ônibus

Ministério Público também propôs a criação de uma barreira física para motoristas e cobradores não se exporem ao vírus

atualizado 19/05/2020 20:10

Passageiros embarcando em ônibusRafaela Felicciano/Metrópoles

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) encaminhou à Secretaria de Transporte e Mobilidade (Semob) sugestões para o funcionamento dos ônibus a partir do momento em que houver a reabertura de todas as atividades no DF. O documento foi elaborado pelo Instituto de Fiscalização e Controle (IFC) e sugere, entre outras medidas, a suspensão do pagamento das passagens em dinheiro.

De acordo com a entidade responsável pelo estudo, as recomendações foram feitas inspiradas em experiências internacionais na área de transporte público coletivo e contemplam passageiros, funcionários e a demanda da população pelos ônibus. A ideia é evitar a propagação do novo coronavírus.

Como alternativa ao pagamento em dinheiro, o MP recomenda a realização de campanhas de conscientização para a aquisição dos cartões de bilhetagem pelos cidadãos, para evitar o contato com o cobrador e acelerar os embarques.

Pelo lado da proteção dos passageiros, a principal ideia apresentada é a de ser feita uma verificação diária de temperatura por termômetro infravermelho, antes do embarque, nos principais terminais de ônibus do DF, nas estações do BRT e na Rodoviária do Plano Piloto.

Conhecido pelo projeto Como anda meu ônibus, o IFC pede que a Semob conscientize e capacite funcionários, além de realizar exames médicos regulares em todos.

Outra ideia é que motoristas e cobradores sejam separados dos usuários de ônibus por placas de acrílico ou por outros meios. Segundo o estudo, medidas semelhantes foram adotadas em países como Suíça e Alemanha.

0

Para evitar ônibus lotados, formando um ambiente propício para a contaminação pelo novo coronavírus, o IFC sugere ainda que os veículos possam circular apenas com 60% da capacidade habitual e campanhas de mobilidade por bicicleta ou a pé incentivem as pessoas que moram perto do trabalho evitar o transporte público.

É possível ter acesso ao documento completo no site do MPDFT.

Procurada, a Semob informou que recebeu o documento citado no fim da tarde desta terça-feira e que “analisará as sugestões e fará as devidas considerações”.

Últimas notícias