*
 

Os brasilienses choraram a derrota do Brasil para a Bélgica nesta sexta-feira (6/7). O time comandado por Tite perdei por 2 a 1 e está fora da Copa do Mundo de 2018. A equipe belga agora decide vaga na final com a França.

Havia otimismo
A expectativa para o jogo de hoje é alta na Arena Oliver. O empresário Higor Braz, 29 anos, veio ver o jogo acompanhado da esposa Aline, 33, e a filha Isabella, 1. “Hoje o Brasil não tem outra opção senão ganhar. Acho que tudo que eles precisam é de vontade, não precisa mexer na escalação. Só mostrar a habilidade do time”, opina.

JP Rodrigues/Especial para o Metrópoles

Isabela Braz, Higor Carvalho e Aline Braz

 

A arquiteta Marcella Mendonça, 23, estão otimistas em relação à Seleção Brasileira. “Acho que vamos ganhar hoje. Depois de todos os jogos a gente cria muito esperança. Estou otimista, acreditando no Hexa. Vim até com a mesma camisa que usei no último jogo para dar sorte”, conta.

Já o engenheiro Fernando Pauro, 28, está pessimista. “A Bélgica vai ser a campeã da Copa. Eles tem mostrado um rendimento muito bom e o Brasil não fez nem metade dos gols que ela”, explica. Contudo, ele afirma que sua torcida está no meio a meio e que ele irá decidir para quem torcer de verdade depois do fim do primeiro tempo.

Os servidores públicos Paula Parente, 32, e Carlos Lustosa, 38, também engrossam o time de pessoas confiantes na vitória do Brasil. “Vai ser uma partida fácil, a Bélgica não vai dar trabalho e a seleção vai dominar todo o jogo. Já contra a França vai ser uma batalha difícil”, especula Carlos.

 

No Primeiro Bar, do Sudoeste, o clima antes do jogo era de apreensão. A estudante Beatriz Helen, 16, aposta em um 2 a 1 para a Seleção Brasileira, mas avisa: “Não vai ser nada fácil pra gente”. Além do jogo, o bar oferece atrações musicais variadas para animar o pós-jogo.

O servidor público Regis Folia, 43, acredita numa vitória fácil por 3 a 0. “Estou bem confiante para esse jogo. Meu palpite é otimista”, brincou