Tia da mãe de Bernardo vai à Bahia para identificar corpo achado

Informação foi dada pelo padrinho do menino. A parente seguiu para o estado nordestino na madrugada desta sexta-feira (06/12/2019)

Reprodução/Facebook

atualizado 06/12/2019 16:14

Uma tia de Tatiana da Silva, mãe do menino Bernardo (foto em destaque), de 1 ano e 11 meses, seguiu para a Bahia a fim de reconhecer o corpo encontrado na tarde de quinta-feira (05/12/2019). O pai da criança, Paulo Roberto de Caldas Osório, 45 anos, confessou ter matado o filho e indicou para os investigadores o local onde teria jogado o cadáver, próximo ao município de Palmeiras (BA), às margens da BR-242.

A informação veio de Augusto César Nascimento Damiano, 23, primo de Tatiana e padrinho de Bernardo. A tia-avó do menino saiu na madrugada desta sexta-feira (06/12/2019). O parente também falou sobre o clima da casa. “Desde sexta-feira da semana passada, está o mesmo clima. Ela [Tatiana] está destruída. É muito difícil, não sabemos o que fazer”, lamentou.

De acordo Augusto, a família foi pega de surpresa pelo comportamento de Paulo — o passado do homem veio à tona após o sumiço do menino.

“A gente quer justiça, porque esse cara matou a mãe e, agora, fez isso com o Bernardo. Ele não pode ficar solto para cometer um terceiro crime e outros mais”, comentou o padrinho da criança.

Informações

O Metrópoles ouviu policiais na Bahia que confirmaram ter achado, nessa quinta-feira (05/12/2019) por volta das 15h, um corpo de criança com as mesmas características de Bernardo, trajando calça azul listrada e blusa branca de manga longa. O cadáver estava em estado avançado de decomposição. Uma cadeirinha foi encontrada um pouco mais à frente.

Fontes ligadas à investigação no DF confirmaram que a cadeirinha é a de Bernardo. O cordão de âmbar que o menino usava estava no corpo encontrado. A necrópsia está sendo feita no Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Itaberaba (BA).

Material cedido ao Metrópoles

A mãe de Bernardo, Tatiana da Silva, 30, afirmou à reportagem, nesta sexta-feira (06/12/2019), que não recebeu qualquer informação oficial da polícia sobre a confirmação de que o corpo encontrado é o de seu filho. Na quinta (05/12/2019), a pedido da PCDF, ela enviou uma foto do menino, na qual ele “mostra os dentes” e o resultado de um exame que a criança fez no tórax. Também foi recolhido material genético dela. “Estamos no aguardo”, disse.

O material será usado para identificação do corpo.

Material cedido ao Metrópoles
Local onde o corpo foi localizado, às margens da BR-242, próximo a Palmeiras (BA)

Segundo a investigação, é provável que o menino tenha morrido ainda na casa do pai, na 712 Sul. Paulo colocou sonífero no suco de Bernardo. Se isso realmente ocorreu, ele teria dormido com o filho morto, antes de deixar o cadáver em um matagal à beira da estrada.

0

O assassino confesso do próprio filho saiu de Brasília na sexta à noite (29/11/2019). Ele parou e dormiu em Luís Eduardo Magalhães (BA). Depois, largou o corpo perto de Palmeiras (BA), em dia e horário ainda desconhecidos.

O município de Palmeiras, onde o cadáver foi localizado, fica a 1.055 km do Distrito Federal. Paulo seguiu viagem e passou por Salvador e Guarajuba, região litorânea da Bahia.

De lá, fugiu para Alagoinhas (BA), com o intuito de sair de perto da BR, onde a Polícia Rodoviária Federal o procurava. O esconderijo não funcionou e Paulo acabou preso pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), na segunda-feira (02/12/2019).

Provável trajeto de Paulo:

Reprodução/Google Maps

Saiba como ocorreu o crime, na versão do pai de Bernardo: 

0

Na quinta-feira, policiais da Divisão de Repressão a Sequestro (DRS) suspenderam as buscas. Durante toda a quarta-feira (04/12/2015), um efetivo da PCDF ficou mobilizado em rodovia próxima à Roda Velha (BA). O helicóptero da corporação também prestou apoio para vasculhar a área.

Descrito por autoridades policiais, vizinhos e colegas de trabalho como “introspectivo”, “dissimulado” e “de poucas palavras”, Paulo era funcionário do Metrô-DF e tinha facilidade para esconder seu passado das pessoas com quem se relacionava.

Ele foi capaz de ocultar o assassinato da própria mãe em 1992, do qual foi o autor. Apenas os vizinhos da quadra sabiam da história, ocorrida na mesma residência onde a Polícia Civil acredita que Bernardo tenha sido morto. A mãe do bebê só soube do caso na última sexta-feira (29/11/2019).

Confira fotos do caso:

0

Veja vídeo em que Paulo fala sobre o crime:

 

Últimas notícias