Testemunha de tragédia no DF: “Gari foi arremessado a 100m e carro voou”

O condutor estava embriagado e foi preso em flagrante. Ele chegou a ser internado no Hospital Regional de Sobradinho e está sob escolta

atualizado 07/08/2020 7:02

Ilda Barbosa de Sousa e Anísio de Souza Lopes, garis atropeladosRedes sociais/Reprodução

Um dos dois garis atropelados por um motorista embriagado, na noite de quarta-feira (5/7), foi arremessado a uma distância de ao menos 100 metros. A afirmação veio de uma testemunha à Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF). O acidente ocorreu no Km 10 da BR-020, sentido Sobradinho/Planaltina. O autor, Josué Alexandro Reis, 40 anos, conduzia um Ford Ka e foi preso.

Veja o vídeo feito minutos depois do acidente:

 

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), as vítimas não resistiram aos ferimentos e morreram no local. O Metrópoles apurou que elas trabalhavam para a empresa Valor Ambiental e são Ilda Barbosa de Sousa, 52 anos, e Anísio de Souza Lopes, 48 (foto principal).

O delegado-chefe da 13ª Delegacia de Polícia Civil (Sobradinho), Hudson Maldonado, afirmou que o motorista, que trabalha como operador de xerox em uma papelaria, estava embriagado e em alta velocidade.

“A batida foi de tamanha violência que, segundo as testemunhas ouvidas, dois motoboys, uma das vítimas foi arremessada por mais de 100 metros. O veículo do autor chegou a voar quando da colisão, ficando ele preso e desacordado dentro do automóvel”, detalhou o policial.

0

O Detran constatou que o condutor, apesar de não soprar o bafômetro, estava embriagado.

“A perícia foi solicitada. Os corpos dos trabalhadores foram removidos ao IML, onde passarão por necropsia. O autor do fato, sem antecedentes penais, agora está preso e autuado por duplo homicídio praticado por dolo eventual, quando a pessoa assume o risco de cometer o resultado danoso, embora não o deseje”, explicou Maldonado.

“Quem bebe, se embriaga e assume a direção de um veículo está, de fato, assumindo o risco de causar o resultado grave, como a morte desses dois trabalhadores”, ressaltou o delegado.

O autor, se condenado, poderá pegar de 12 a 30 anos de reclusão. Ele foi internado no Hospital Regional de Sobradinho, com escolta policial. Ao sair, seria conduzido ao Divisão de Controle e Custodia de Presos (DCCP) da PCDF e ficará à disposição da Justiça.

Veja vídeo do delegado Hudson Maldonado:

O acidente

Os ciclistas estavam com o uniforme do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) e trafegavam pela rodovia, quando foram atropeladas por volta da meia-noite. O SLU confirmou que os servidores mortos eram Ilda e Anísio.

O motorista permaneceu na rodovia. Segundo um agente da Polícia Civil do DF (PCDF) que compareceu ao local, duas testemunhas foram identificadas e o reconheceram como autor do crime.

Confira imagens feitas logo após o acidente:

Uma delas afirmou que tirou o condutor do veículo do banco do motorista com sinais de embriaguez. Os bombeiros também acrescentaram que o homem recusou atendimento por parte da equipe médica, apesar de estar com diversos ferimentos, inclusive no rosto.

Diante das informações colhidas no local do fato, Josué Reis foi preso e encaminhado à 13ª Delegacia de Polícia Civil (Sobradinho). Ele trabalha como operador de máquina em uma copiadora na região administrativa.

Uma equipe PRF atuou na preservação do local do acidente para realização da perícia. A prisão do autor foi comunicada à sua esposa e seus objetos pessoais foram entregues a ela.​​

O SLU divulgou nota lamentando o falecimento de Ilda e Anísio e informando como o caso está sendo tratado. De acordo com o serviço, o acidente aconteceu quando os trabalhadores voltavam para casa, após os serviços noturnos de varrição em Sobradinho.

“O SLU manifesta solidariedade aos familiares das vítimas nesse momento tão trágico e informa que a Valor Ambiental já encaminhou os procedimentos necessários e acionou a seguradora em relação ao auxílio funeral e seguro de vida. A empresa também se coloca à disposição para apoiar as famílias”, diz o comunicado.

Últimas notícias