Temor por coronavírus faz brasilienses circularem com máscaras

DF tem 2 casos prováveis de coronavírus em investigação. Estoque de máscaras e álcool das farmácias se esgotaram rapidamente

Igo Estrela/Metrópoles

atualizado 16/03/2020 10:58

A chegada do novo coronavírus ao Brasil tem provocado temor entre os brasilienses. Após a confirmação do primeiro caso no país, já era possível observar pacientes das redes pública e particular do Distrito Federal fazendo o uso das máscaras de proteção. No Aeroporto Internacional de Brasília, cenário parecido: passageiros circulavam pelas esteiras de embarque com o equipamento.

No Hospital Regional da Asa Norte (Hran), por exemplo, servidores instruíam pacientes do pronto-socorro a usarem os equipamentos. Os funcionários também orientavam crianças sobre o uso correto da máscara. A unidade é tida como referência no tratamento da doença.

Quem também sentiu o impacto da chegada da doença foi o comércio. Na Rua das Farmácias, na 302 Sul, nenhuma loja tinha máscaras de proteção à venda já no fim da tarde dessa quarta (26/02/2020).

O mesmo ocorreu com o álcool em gel: somente um dos comércios pesquisados ainda contava com o produto nas prateleiras. Vendidas no varejo ou atacado, as unidades das máscaras custam entre R$ 1,50 e R$ 29,90, a depender do modelo.

Enquanto isso, as caixas dos aparatos de proteção chegam a custar R$ 75. Dos estabelecimentos visitados, apenas da Drogaria Rosário afirmou não trabalhar com a venda do produto, muito usado em outros países depois das notícias sobre o novo coronavírus. Todas as demais estavam com os estoques zerados. Funcionários relatam aumento na procura após a confirmação da doença.

Últimas notícias