Taxa de transmissão da Covid tem 7ª alta e chega a 2,11 no DF

Esse é a sétima vez que o número cresce na capital federal, o que significa que, a cada 24 horas, os casos da doença podem ir dobrando

atualizado 12/01/2022 21:38

Na imagem colorida, uma mão segura um frasco com uma embalagem escrito ômicronGetty Images

A Secretaria de Saúde informou, na noite desta quarta-feira (12/1), que a taxa de transmissão da Covid-19 teve mais uma alta e registrou o índice de 2,11 no Distrito Federal.

É a sétima alta computada dos últimos dias. Até esta tarde, o valor estava em 2,06, o que significa que, a cada 24 horas, o número de infectados pela doença tende a dobrar.

De acordo com o mais recente boletim epidemiológico, a capital registrou 3.813 casos novos em relação ao dia anterior. Segundo o GDF, 90% das hospitalizações são de pessoas não vacinadas ou com o ciclo vacinal incompleto.

A Secretaria de Saúde também confirmou pelo menos 26 casos de infecção pela nova variante Ômicron no Distrito Federal. Os registros foram feitos pelo Laboratório Central (Lacen), por meio de sequenciamento genético.

0
Medidas restritivas

Mais cedo, em decorrência da explosão de novos casos, o secretário da Casa Civil, Gustavo Rocha, anunciou a proibição de festas, shows e festivais com cobrança de ingressos no DF.

A medida pegou o setor de eventos de surpresa e passa a valer já na programação dos próximos dias. A determinação permanecerá até que a taxa de infecção volte a cair, ficando a baixo de 1,0, classificada pelas autoridades sanitárias como estabilização de casos.

Mesmo de férias, o governador Ibaneis Rocha (MDB) comentou a retomada das medidas restritivas.

“Seguimos trabalhando para vencer a pandemia. No próximo domingo (16), vamos iniciar a campanha de imunização de nossas crianças, a princípio, com as 16,3 mil doses fornecidas pelo governo federal. Faremos a vacinação gradualmente”, escreveu.

 

 

Mais lidas
Últimas notícias