metropoles.com

STF anula condenação contra senador Izalci Lucas por peculato

Senador havia sido condenado por apropriação de computadores da Secretaria de Ciência e Tecnologia do DF, em 2009, quando chefiava a pasta

atualizado

Compartilhar notícia

Gustavo Moreno/Metrópoles
Candidato Izalci Lucas durante debate Metrópoles GDF 2022
1 de 1 Candidato Izalci Lucas durante debate Metrópoles GDF 2022 - Foto: Gustavo Moreno/Metrópoles

O Supremo Tribunal Federal (STF) anulou, nessa quarta-feira (16/11), a condenação do senador Izalci Lucas (PSDB) por peculato.

Em 26 de maio, 3ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) havia condenado o parlamentar a quatro anos e oito meses de reclusão em regime semiaberto.

Agora, com a decisão do ministro do STF Luiz Fux, o processo consta como arquivado definitivamente e, portanto, transitou em julgado na Justiça comum.

Izalci foi condenado por apropriação de computadores do Governo do Distrito Federal (GDF), em 2009. À época, ele atuava como secretário de Ciência e Tecnologia.

Os equipamentos haviam sido doados pelo Tribunal de Contas da União (TCU) à pasta. No entanto, foi acusado de desviar os equipamentos para o próprio comitê de campanha.

Os advogados do congressista tentaram reverter a sentença por alegar cerceamento de defesa, mas, pela segunda vez, a Justiça negou o pedido.

2 imagens
Izalci não responderá pois crimes prescreveram
1 de 2

Senador Izalci Lucas foi condenado por peculato

Waldemir Barreto/Agência Senado
2 de 2

Izalci não responderá pois crimes prescreveram

Rafaela Felicciano/Metrópoles

Com a confirmação da condenação em segunda instância, a defesa conseguiu um habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ), em junho de 2022, para anular os efeitos da sentença.

No entanto, em setembro, perto do primeiro turno das eleições, o STJ acolheu um pedido do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) e suspendeu a liminar.

Ao Metrópoles o senador afirmou que recebeu a notícia “com muita serenidade e a consciência de que a justiça está sendo feita”. “Daqui, sigo realizando meu trabalho com dedicação ao povo brasiliense, como sempre fiz”, completou.

Condenação

A acusação dizia que Izalci teria usado computadores doados pelo TCU no escritório de campanha, à época em que concorria ao cargo de deputado federal.

denúncia contra a apropriação dos bens partiu da Procuradoria-Geral da República (PGR), em 2017. Na ocasião, quando o tucano atuava na Câmara dos Deputados, a denúncia chegou ao Supremo Tribunal Federal (STF), em virtude do foro privilegiado do político.

Em junho de 2018, porém, a ministra Rosa Weber remeteu a denúncia à primeira instância da Justiça do Distrito Federal, pois, à época das ações denunciadas, Izalci não ocupava cargo de deputado e, portanto, não tinha foro especial.

Compartilhar notícia

Quais assuntos você deseja receber?

sino

Parece que seu browser não está permitindo notificações. Siga os passos a baixo para habilitá-las:

1.

sino

Mais opções no Google Chrome

2.

sino

Configurações

3.

Configurações do site

4.

sino

Notificações

5.

sino

Os sites podem pedir para enviar notificações

metropoles.comDistrito Federal

Você quer ficar por dentro das notícias do Distrito Federal e receber notificações em tempo real?