*
 

A cadela arremessada no chão de um prédio da 312 Norte foi resgatada nesta segunda-feira (12/2). A ativista e membro da Comissão de Defesa dos Direitos dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil no Distrito Federal (OAB-DF) Ana Paula de Vasconcelos, 40 anos, conta que a Justiça expediu mandado de busca e apreensão determinando a retirada do pet da posse do dono, na noite de domingo (11).

Segundo Ana Paula, o documento do Plantão Judicial do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) a definiu como fiel depositária – pessoa confiada para ficar com um bem durante o andamento de um processo. A cachorrinha, no entanto, chegou até ela apenas por volta das 15h30, após negociar a entrega, feita por meio de um terceiro.

No fim desta tarde (12), a cadela, batizada como Hanya, passava por exames. De acordo com a advogada, o animal, de aproximadamente 7 meses, se assusta com facilidade. “Se levanta as mãos, ele encolhe. Mas, fora isso, está bem, aparentemente”, pondera a também voluntária da ONG Adoção São Francisco.

Confira fotos da cadela após o resgate:

 

Hanya deve ficar na casa de Ana Paula, no Lago Norte, ao menos até que o processo de maus-tratos seja concluído. O acusado de agredir o pet, um servidor da Caixa Econômica Federal, foi levado para a delegacia, na noite de sábado (10), e liberado após ele assinar um Termo Circunstanciado de Ocorrência.

À polícia, ele disse ter saído para passear com a cachorrinha, subiu para casa e, ao chegar na porta do apartamento, ela teria fugido do corredor para a área comum e descido as escadas. Ao tentar pegar o bicho no colo, na garagem, o pet teria lhe dado uma mordida no dedo. Por conta disso, o servidor confessou tê-lo segurado pela pele do dorso e jogado no chão.

Imagens de segurança do prédio flagraram o momento da agressão: