Sindicato anuncia fim da greve da limpeza em hospitais públicos do DF

Aproximadamente 2,2 mil terceirizados estavam com os braços cruzados desde segunda-feira (13/09) cobrando salários atrasados

atualizado 16/09/2021 14:56

Banheiro de hospital públicoMaterial cedido ao Metrópoles

Com a retomada dos pagamentos dos salários atrasados, o trabalhadores terceirizados contratados para a limpeza dos hospitais públicos, UPAs, UBS e postos de saúde anunciaram o fim da greve nesta quinta-feira (16/09).

Aproximadamente, 2.200 terceirizados contratados pela empresa BRA cruzaram os braços na segunda-feira (13/09). A paralização afetou grande parte da rede pública.

“A greve acabou. Os trabalhadores estão recebendo os salários e estão voltando”, afirmou presidente do Sindiserviços-DF, Maria Isabel.

“Conseguimos negociar com a empresa para que eles não precisam pagar pelos dias parados”, completou a dirigente sindical. O salário base dos terceirizados é de R$ R$1.287,96.

Segundo Maria Isabel, os atrasos nos salários ficaram recorrentes. “Eu espero que isso pare de acontecer. Nossa categoria sobrevive só com R$ 1,2 mil por mês”, desabafou.

Vigilantes

Terceirizados contratados para a vigilância da rede pública de Saúde do DF também sofreram com salários atrasados. A categoria não entrou de greve.

Nesta quinta-feira (16/09), os trabalhadores da Ipanema, último grupo com atrasos, começou a receber os salários.

Crise

A greve da limpeza agravou os problemas em diversas unidades da rede pública. Profissionais de saúde e pacientes foram forçados a conviver com ambientes sujos, a exemplo das imagens vistas no Hospital Regional de Taguatinga (HRT).

Conforme a Coluna Janela Indiscreta noticiou, o secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache, solicitou a abertura de sindicância para apurar as causas de atrasos na quitação das faturas de empresas terceirizadas, prestadores de serviço de limpeza e de vigilância.

Últimas notícias