Terceirizados na limpeza de hospitais públicos entram em greve no DF

Sem receber salários, aproximadamente 800 profissionais cruzaram os braços. Problema afeta praticamente toda rede pública em plena pandemia

atualizado 13/09/2021 20:45

GreveMaterial cedido ao Metrópoles

Sem receber salários, 800 profissionais terceirizados contratados para manter a limpeza na rede pública de Saúde do Distrito Federal entraram em greve nesta segunda-feira (13/09). A paralisação afeta hospitais públicos e postos de vacinação contra Covid-19.

Segundo o Sindicato de Serviços Terceirizáveis (Sindiserviços-DF), os trabalhadores só voltarão aos postos após os pagamentos. O salário base dos profissionais é de R$ 1,1 mil, sem contar com eventuais adicionais de insalubridade.

“Esses atrasos estão virando um câncer. Nós não podemos ficar sempre com os salários atrasados”, desabafou a presidente do Sindiserviços, Maria Isabel Caetano dos Reis.

Conforme o Metrópoles noticiou, atrasos em pagamentos estão afetando os serviços de limpeza e vigilância em toda rede pública de Saúde.

Durante coletiva nesta segunda-feira (13/09), o secretário de Saúde, Manoel Luiz Narvaz Pafiadache, afirmou que os problemas envolvendo os contratos terceirizados serão resolvidos até quarta-feira (15/09).

Últimas notícias