*
 

Após duas paralisações de 24 horas nas últimas semanas, os policiais civis do Distrito Federal se reúnem mais uma vez em assembleia nesta terça-feira (14/11), às 14h, na Praça do Buriti. Convocada pelo Sindicato dos Policiais Civis do DF (Sinpol-DF), a categoria definirá ações pela manutenção da paridade salarial com a Polícia Federal e novas mobilizações, incluindo um indicativo de greve.

De acordo com a entidade, apesar do baixo efetivo, da falta de condições e da desmotivação por conta da defasagem salarial, os policiais civis deflagraram dezenas de operações nas últimas semanas, fazendo centenas de prisões e resolvendo casos de grande impacto na sociedade.

“E o governo, em um sinal de desrespeito e desvalorização, responde o pleito da categoria dando as costas. Mostrando, assim, que o governador permanecerá sem cumprir a sua palavra”, afirma Rodrigo Franco Gaúcho, presidente do Sinpol-DF.

Corte de ponto
O GDF informou que tem negociado com os policiais civis desde 2015 e ofereceu mais de quatro propostas para atender às reivindicações da categoria, todas recusadas.

Esclareceu, ainda, não ser possível arcar com os reajustes sem uma nova fonte contínua de receitas e ameaçou cortar o ponto dos policiais que faltarem ao serviço. “Será aplicada a Lei Geral de Greve, conforme decisão do Supremo Tribunal Federal, com regras que preveem corte de ponto e de vantagens nos dias de falta dos servidores que participarem de paralisações”, afirmou em nota.

 

 

COMENTE

Grevepoliciais civis
comunicar erro à redação

Leia mais: Servidor