*
 

Pelo menos um caixa eletrônico foi arrombado e diversos tumultos foram registrados em hospitais e unidades de saúde da rede pública do Distrito Federal entre a noite de quinta-feira (8/3) e a madrugada desta sexta (9). As ações são em virtude da falta de vigilantes, que estão em greve. O Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem (Sindate-DF) orientou os servidores a não trabalharem caso se sintam inseguros por conta da greve.

De acordo com o Sindicato dos Vigilantes, pacientes depredaram equipamentos médicos, computadores e móveis no Hospital Regional de Brazlândia (HRBz). Há informações sobre furtos em carros que estavam parados no estacionamento da Unidade Básica de Saúde 4, em Samambaia.

No Centro de Saúde 1 do Riacho Fundo II, bandidos tentaram explodir e arrombaram um terminal bancário. Devido ao episódio, o atendimento no local foi suspenso.

Também na noite de quinta, dois homens invadiram a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Ceilândia, agrediram funcionários e quebraram mesas, cadeiras e equipamentos da unidade hospitalar e de uma viatura do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Três pessoas ficaram feridas no ataque. Entre as vítimas, estão médicos e enfermeiros. A porta da unidade de saúde ficou suja de sangue. Conforme informações da Polícia Militar, os dois agressores estavam bêbados e um deles tinha um corte na mão.

Veja imagens:

 

A Diretoria de Atenção Primária da Região Centro-Sul esclareceu que, na madrugada desta sexta, um caixa eletrônico foi arrombado na Unidade Básica de Saúde do Riacho Fundo II. O boletim de ocorrência já foi registrado e a UBS está isolada aguardando perícia.

Os servidores foram redistribuídos para atenderem em outras unidades da Região de Saúde. Com isso, nenhum paciente deixará de ser assistido, garante o governo. Assim que a perícia for finalizada e a unidade higienizada, o atendimento voltará a ocorrer na UBS.

Em relação à ocorrência em Brazlândia,  a direção do hospital registrou um caso de vandalismo, nesta quinta, quando um paciente que estava internado no pronto-socorro depredou uma sala, quebrou uma janela e fugiu.

A gerência da Unidade Básica de Saúde 4 de Samambaia informou que, na tarde de quinta, houve um furto de rodas veiculares no estacionamento do local. O carro é de propriedade de servidor e um boletim de ocorrência foi registrado.

Paralisação
A greve da categoria continua por tempo indeterminado. Segundo o Sindicato dos Vigilantes, cerca de 90% dos 20 mil terceirizados aderiram ao movimento.

A categoria declarou a paralisação em 28 de fevereiro, reivindicando reajuste de 7%, além de manutenção das cláusulas sociais, como seguro de vida e plano de saúde. De acordo com os vigilantes, a paralisação só será encerrada caso as empresas aceitem a proposta imposta por eles, sem punir os que aderiram à mobilização.