*

Mais lidas

Presidiários tentam fugir da Papuda por buracos no teto de celas

Agentes perceberam a movimentação durante ronda noturna no Centro de Detenção Provisória, na noite de sábado (10/9). Quarenta internos tentariam deixar o complexo. Caso ocorre sete meses após a maior fuga da história da instituição

Arquivo pessoal
Kelly Almeida
Otto Valle
 

Agentes do Complexo Penitenciário da Papuda evitaram a fuga de 40 presos por volta das 21h de sábado (10/9). Internos do Centro de Detenção Provisória (CDP) conseguiram abrir buracos entre uma cela e outra do Bloco 1 da Ala B e no pavimento que dá acesso à área externa do pavilhão e tentaram sair pela lage.

Segundo o presidente do Sindicato dos Agentes de Atividades Penitenciárias do Distrito Federal (Sindpen-DF), Leandro Allan, servidores descobriram os buracos na ronda de rotina. “Acreditamos que, após deixar o CDP, os detentos tentariam pular as cercas. Eles poderiam até fazer reféns”, diz o sindicalista, acrescentando que os 40 presidiários estavam em uma ala na qual deveria haver no máximo 24. 

Segundo Allan, a possibilidade de uma fuga no CDP foi alertada às autoridades. “Temos 1,5 mil agentes penitenciários para um universo de 15,2 mil presos hoje. Nossos quadros estão defasados e há anos esperamos a recomposição do efetivo de servidores. No caso do CDP, a situação é ainda mais complicada, pois a estrutura do edifício é de tijolos e as paredes são frágeis”, diz.

De acordo com relato de agentes, completa o sindicalista, na tentativa de fuga deste sábado, foram utilizados aparelhos de barbear e escovas de dentes para abrir buracos no teto de três celas do CDP. “Isso reforça como é fácil se repetirem ações do tipo”, alerta. Além dos buracos no teto (foto principal), outro foi aberto no banheiro (foto abaixo).

Arquivo pessoal

Até a última atualização desta reportagem, a Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social ainda não havia se manifestado sobre o caso.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública informou que foi feito o remanejamento dos presos para outras celas e será aberta uma investigação para apurar o caso. Os responsáveis pela tentativa de fuga responderão pelo crime de dano ao bem público.

Sobre melhorias no sistema, a pasta afirma que, há dois meses, iniciou uma reforma na unidade para melhorar as condições de segurança e dos presos. “Em maio, dois novos blocos foram inaugurados no CDP. Juntas, as novas unidades têm capacidade para 400 pessoas, cada uma com 3,5 mil metros quadrados. Os espaços terão cantina, pontos de controle, consultórios e locais destinados à ressocialização dos presos”, completou.

Maior fuga da história
A tentativa de fuga deste sábado (10) ocorre sete meses após a maior fuga da história da Papuda. Na madrugada de 21 de fevereiro, 10 presidiários conseguiram deixar o complexo após serrar grades da Penitenciária do Distrito Federal I (PDF I), conhecida como Cascavel, por reunir detentos de alta periculosidade. Até hoje, um dos fugitivos segue foragido: Marcos Antônio Moreira dos Santos.

O episódio derrubou o comando do sistema penitenciário do DF. Foram exonerados o secretário de Justiça e Cidadania à época, João Carlos Souto; o subsecretário do Sistema Penitenciário (Sesipe), João Carlos Lóssio; e o diretor do PDF I, Mauro Cezar Lima.

Luziânia (GO)
No sábado (10), sete presos fugiram da Casa de Prisão Provisória (CPP) em Luziânia (GO), no Entorno. Três deles cumprem pena por homicídio e outros dois por roubo qualificado.

 

 

COMENTE

papudaComplexo Penitenciário da Papudacentro de detenção provisória
comunicar erro à redação

Leia mais: Segurança