*
 

Uma jovem de 22 anos foi presa nessa segunda-feira (4/6) por estelionato. Ela se passava por religiosa de uma rede católica de ensino particular do DF e oferecia emprego para cargos de professor, psicólogo e áreas em atividades administrativas. As vagas estariam disponíveis no Brasil e em Roma, na Itália. Estima-se que pelo menos 100 pessoas teriam caído no golpe.

A investigação é da 23ª Delegacia de Polícia (Ceilândia Sul). Segundo as vítimas, a suspeita utilizava uniformes da escola para dar maior credibilidade à história contada. Ela solicitava valores a título de adiantamento para providenciar documentos, passaportes, supostamente necessários à contratação. As propostas de emprego teriam salários de R$ 5 mil a R$15 mil.

Alguns dos profissionais interessados nas falsas vagas foram lesados em mais de R$10 mil. De acordo com a polícia,  Agenayra Maranguape Rodrigues chegava a trocar e-mails com as vítimas se passando por padres diretores da escola em Brasília, São Paulo e até em Roma. Em alguns casos, usou nomes que não existem.

Uma das vítimas gravou um vídeo momento antes da prisão da estelionatária. Confira:

 

A golpista é conhecida da polícia. Em dezembro de 2015, Agenayra foi presa em flagrante após forjar o próprio sequestro.

Conforme acreditam os investigadores, é possível existir mais vítimas que não chegaram a registrar ocorrências.