Homem queimado no Guará foi morto por dívida de tráfico de drogas

Autor do assassinato teria recebido ajuda de três adolescentes, um de 15 e dois de 17 anos, para eliminar traficante que lhe devia R$ 1 mil

atualizado 26/09/2018 13:57

PMDF/Divulgação

O responsável por matar e queimar um homem no último dia 15 de setembro foi identificado e preso pela Polícia Civil. O autor do crime, segundo a 4ª Delegacia de Polícia (Guará), é Selino Sutero da Silva, 35 anos. Ele teria contado com a ajuda de três adolescentes, dois de 15 e um de 17 anos, para enforcar a vítima, ainda não identificada. De acordo com os policiais, Selino traficava drogas na região com a participação de menores. A investigação foi batizada de Operação Tessera.

De acordo com a Polícia Civil, o fato ocorreu em uma residência localizada na QSB 4. A vítima teria feito um acordo com os envolvidos de que venderia entorpecentes, mas não entregou o dinheiro obtido com o tráfico. Ele devia R$ 1 mil aos autores havia mais de um mês. Segundo o delegado Johnson Kennedy Monteiro, titular da 4ª DP, os suspeitos souberam que a vítima estava “ostentando” nas redes sociais, e que, mesmo assim, não pagava a dívida.

No dia 15 de setembro, de acordo com as investigações, o grupo procurou o devedor e soube que ele estava no Setor Comercial Sul. “Então, foram até lá de carro, ofereceram uma proposta para ele quitar, mas já com a intenção de enganá-lo e matá-lo. Eles disseram que dariam mais crack para que ele vendesse e pudesse pagar”, conta o delegado. A vítima ainda não foi identificada. Sabe-se que era morador de rua, de 20 ou 30 anos e moreno. E que tinha o apelido de ‘Zói”.

0

A vítima teria aceitado e entrado com os autores no carro. De lá, foram até o centro de Taguatinga, na QSB 4, casa de Selino. “No local, espancaram o homem e o asfixiaram até a morte com um fio. Depois, colocaram o corpo enrolado em um tapete no porta-malas do veículo e o levaram a um matagal no Setor de Transportes Rodoviários e Cargas, no Guará”, explica Johnson Kennedy.

Em seguida, os envolvidos retiraram o cadáver do carro, jogaram álcool, atearam fogo e fugiram. O corpo foi encontrado na manhã do dia seguinte por moradores de rua. Após investigações que identificaram a autoria do crime, foi pedida a prisão temporária de Selino, que tem nove passagens na polícia por delitos como assalto, furto, porte ilegal de arma de fogo e falsidade ideológica.

Os adolescentes apreendidos possuíam passagens na Polícia por roubo, uso de drogas, furto e recepção. Selino estava em regime de prisão domiciliar, cumprindo pena por roubo. Ele responderá por homicídio triplamente qualificado, corrupção de menores e ocultação de cadáver.

Últimas notícias