“Eu tentei estancar o sangue”, diz amigo de jovem morto na Rodoviária

Ícaro estava com o estudante da UnB Milton Junio quando ele foi morto com uma facada no peito, na madrugada desta terça-feira (15/1)

atualizado 15/01/2019 21:14

Reprodução

Uma testemunha que presenciou o assassinato brutal do estudante da Universidade de Brasília (UnB) Milton Junio Rodrigues de Souza (foto em destaque), 19 anos, detalhou ao Metrópoles como foi a abordagem criminosa e os momentos de terror vividos na madrugada desta terça-feira (15/1). O universitário foi morto com uma facada no peito, na Plataforma B da Rodoviária do Plano Piloto, próximo à escada rolante. “Ele [Milton] veio correndo e sangrando em minha direção”, contou Ícaro Carlos de Sousa, 19.

Milton, Ícaro e mais um jovem voltavam de uma festa no Conic. Quando eles passaram pela escada rolante da Rodoviária, foram abordados por um morador de rua, que pegou o isqueiro do trio. “Ele tomou o isqueiro e ficou mexendo com a gente. Nós não gostamos, mas não fizemos nada. Depois, ele começou a xingar, mandando a gente sair da escada”, contou Ícaro.

Ainda segundo o jovem, após a discussão, um amigo do morador de rua chegou e foi para cima de Milton Junio: “Pegou o celular e deu a facada nele”.

Eu tentei estancar o sangue com uma mão e ligar para a emergência com a outra. Depois de 15 minutos os bombeiros chegaram. Tentaram reanimá-lo por 30 minutos, mas não teve jeito

Ícaro Carlos de Sousa, testemunha

Ícaro informou que o amigo estava consciente, mas não conseguia falar. Os suspeitos fugiram com o celular e a carteira da vítima. Eles ainda não foram identificados. O latrocínio, roubo seguido de morte, é investigado pela 5ª Delegacia de Polícia (área central).

Alegria como marca registrada
Milton Junio cursava o quinto semestre de ciências políticas e é lembrado pelos colegas como uma pessoa alegre e divertida. Nas redes sociais, os estudantes e familiares prestaram homenagem. “É muito injusto tirar a vida de um rapaz de 19 anos, que mal conheceu a vida e que lhe foi arrancada a oportunidade de viver”, escreveu um amigo.

0

 

Pabllo Vittar, drag queen ícone da comunidade LGBT+, comentou a morte do estudante: “Um dos vittarlovers mais fofos foi morar no céu”, escreveu na tarde desta terça-feira (15), em uma postagem no Instagram, referindo-se a Milton Junio.

Por meio de nota, o Instituto de Ciência Política (Ipol) lamentou a morte do estudante. “É uma perda inestimável não apenas para seus familiares e colegas de universidade, mas para todo o país. A comunidade de professores, alunos e servidores técnico-administrativos do Ipol lamenta profundamente essa perda e expressa suas mais sinceras condolências a todos os familiares e amigos”, diz o texto.

Últimas notícias