Um motorista de aplicativo morreu após ser atingido por quatro disparos de arma de fogo na noite dessa quinta-feira (11/4), no Itapoã. De acordo com a Polícia Civil, houve uma briga de trânsito e Felype Anderson de Sousa (foto de destaque), 22 anos, acabou baleado pelas costas.

O suspeito dos disparos, segundo a ocorrência policial, seria Alessandro Guerreira Barros, 27, que está foragido.

Conforme relatos de testemunhas, a discussão teria começado quando um veículo bateu em outro enquanto estacionava. Exaltados, os dois trocaram empurrões e Alessandro teria sacado a arma e disparado.

A sobrinha do suspeito, uma adolescente de 16 anos, estava no carro dele no momento do crime e deu sua versão à polícia. Disse que Felype estava fazendo baliza para estacionar na via. Alessandro tentou passar e acabou atingindo a lateral do veículo da vítima. Ele parou um pouco mais à frente para ver se tinha danificado a lateria, quando o motorista do automóvel atingido reagiu de forma bem alterada.

Ainda de acordo com a garota, Alessandro não xingou a vítima, só dizia: “Calma, você vai me bater?”. Felype teria empurrado o suspeito do crime, após chamá-lo de ”comédia”. Em seguida, virou de costas e seguiu em direção ao seu carro. Nesse momento, Alessandro sacou uma arma de fogo que trazia consigo na cintura e efetuou os disparos no outro condutor, que caiu no chão.

Durante a discussão, a adolescente disse que tentou avisar o tio que o veículo não tinha ficado muito arranhado. Ressaltou que tudo ocorreu em poucos minutos e que, após os disparos, Alessandro falou para ela entrar no automóvel. O suspeito saiu rapidamente do local.

Veja fotos de Felype:

 

Dar um jeito
Ainda de acordo com o depoimento, o autor dos disparos teria pedido para a sobrinha não falar nada para a mãe, pois iria dar um jeito de resolver tudo no dia seguinte. A PM conseguiu chegar até a casa da garota. Ela contou o que ocorreu e deu o endereço do tio.

O suspeito, no entanto, não foi encontrado no local. O foragido, segundo a polícia, já tem passagem por tentativa de homicídio.

A vítima foi socorrida por populares e levada ao Hospital Regional do Paranoá (HRPa), mas não resistiu aos ferimentos. Acionada, a Polícia Militar encontrou a arma que teria sido usada no crime na casa da sogra de Alessandro.

A pistola calibre 380, carregada com 10 munições, foi encaminhada à 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá), que investiga o caso.