*
 

A crise no sistema de saúde pública do Distrito Federal parece longe do fim. No Hospital Regional do Paranoá (HRPa), faltam médicos e sobram pacientes. O cenário crítico levou a unidade a decretar bandeira vermelha – quando apenas os casos graves têm atendimento.

De acordo com a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF), o principal motivo para a alta demanda é “que muitos pacientes com casos de menor gravidade superlotam o hospital”.

Segundo o coordenador de Atenção Especializada da SES, Fernando Uzuelli, apesar dos esforços para controlar a situação, não há como definir um prazo para normalização do cenário. “Não tem como você precisar uma data, é dinâmico. Essa medida é excepcional e a avaliação é feita de hora em hora”, explica.

Para diminuir a imensa fila da unidade, o órgão recomenda que a população procure atendimento nas unidades básicas de saúde antes de se dirigirem ao hospital. A pasta acredita que, com a recente nomeação de 1.485 novos servidores, as necessidades do sistema público de saúde começarão a ser supridas.

Cirurgias canceladas
No Hospital Regional de Taguatinga (HRT), a falta de profissionais também atrapalha a vida de quem procura por atendimento. A unidade precisou cancelar algumas cirurgias por falta de leitos e anestesistas disponíveis.

De acordo com Fernando Uzuelli, além das 1.485 nomeações anunciadas pelo governador Rodrigo Rollemberg (PSB) na última quinta-feira (29/3), há previsão de convocar 69 novos anestesistas.

 

 

COMENTE

Paranoáhospital regional do paranoáDistrito Federalbandeira vermelhaSecretaria de Saúde. GDFHospital Regional de TaguatingaHRPA
comunicar erro à redação

Leia mais: Saúde