Com explosão do número de casos, dengue mata três no DF este ano

Foram 1.142 notificações entre 1° de janeiro e 16 de fevereiro, contra 335 no mesmo período de 2018, o que dá um incremento de 221,7%

Internet/ReproduçãoInternet/Reprodução

atualizado 28/02/2019 10:42

O mais recente boletim epidemiológico da dengue, divulgado pela Secretaria de Saúde do Distrito Federal(SES-DF), aponta aumento de 221,7% na quantidade de casos prováveis da doença neste ano em comparação ao mesmo período de 2018. Os dados mostram também que, somente em 2019, o DF já contabilizou três mortes provocadas pela dengue. No mesmo período do ano passado, não houve nenhum óbito.

Segundo a pasta, foram 1.142 registros entre 1° de janeiro e 16 de fevereiro deste ano, contra 355 no mesmo período de 2018. Ainda de acordo com o documento, a região central da capital federal, que quase não apresentava casos da doença, registrou uma explosão no número de ocorrências. Cruzeiro, Asa Sul, Asa Norte e Lago Norte são as áreas mais críticas.

No Cruzeiro, o número de casos subiu 700% — oito, este ano, contra um em 2018. Com 15 contaminações prováveis, a Asa Sul registrou aumento de 650% no total de notificações. Ambas as regiões correspondem a 35,9% do total da região central.

Mortes e casos graves
No período analisado, a Saúde notificou 16 casos de dengue mais graves. Destes, três pacientes acabaram morrendo, sendo dois moradores do DF e um de outra unidade da Federação.

“O incremento substancial da quantidade de casos prováveis, com sinais de alarme, e os óbitos são um alerta a todas as unidades básicas de saúde estarem com suas equipes reforçadas e capacitadas para o reconhecimento desses sinais e assistência oportuna aos pacientes com dengue. A organização específica do acolhimento para esse cenário pode evitar evoluções graves ou fatais”, informa o texto da pasta.

Febre chikungunya
Em relação à febre chikungunya, no DF, foram 14 casos prováveis confirmados até o momento.

Como se prevenir das doenças?
Dengue
A medida mais efetiva é a eliminação das condições de reprodução do mosquito Aedes aegypti, mantendo o espaço sempre limpo e eliminando acúmulos de água.

Chikungunya
As medidas mais efetivas dizem respeito à eliminação dos focos de proliferação do mosquito. Então não deixe água parada em pneus, garrafas ou vasos, verifique se a caixa d’água está devidamente fechada, lave com escova as paredes de algum recipiente que possa conter líquidos.

Zika
Evite regiões epidêmicas, elimine focos de proliferação do mosquito Aedes aegypti, não deixe água parada em pneus, garrafas ou vasos, verifique se a caixa d’água está devidamente fechada, lave com escova as paredes de algum recipiente que possa conter líquidos. Use repelente. Utilize preservativo nas relações sexuais.

Febre amarela

A vacina contra a febre amarela é a forma mais eficiente de prevenção. É necessário que 80% da população de um local seja vacinada para não haver a disseminação, além da eliminação de focos de proliferação do mosquito transmissor.

Últimas notícias