Nove regiões administrativas do Distrito Federal entraram em estado de alerta por apresentarem elevado índice de infestação de larvas do mosquito Aedes aegypti, segundo levantamento realizado pela Secretaria de Saúde (SES-DF). O inseto é transmissor da dengue, do zika vírus e da febre chikungunya.

De acordo com dados levantados pela pasta, Gama, Paranoá, Planaltina, São Sebastião, Jardim Botânico, Park Way, Lago Norte, Itapoã e o SCIA, na Estrutural, apresentaram números acima do considerado como “satisfatório”, com índices entre 1% e 3,9%.

O levantamento feito pela pasta também mostrou um índice de infestação predial abaixo de 1%. Segundo a Saúde, o número é menor que o registrado no mesmo período do ano passado, quando a infestação predial no DF ultrapassou 2%. Ao todo, foram 26.632 imóveis visitados em todo o DF.

SES-DF/Reprodução

As justificativas dadas pela pasta para os números foram as precipitações ocorridas em fevereiro. “A chuva enche os depósitos com água e favorece a manutenção do ciclo de vida do mosquito. O armazenamento de água para o consumo humano continua sendo o depósito predominante”, explicou a Saúde, por meio de nota.

Veja dicas para evitar a reprodução do mosquito da dengue:

– Mantenha a caixa d’água fechada e com a limpeza em dia;
– Não acumule água em potinhos de plantas. Utilize como estratégia o preenchimento com areia nos pratos;
– Avalie se há água acumulada em calhas e faça a desobstrução caso haja materiais que impeçam o escoamento da água;
– Caso armazene água em baldes e tonéis, certifique-se de que estejam bem fechados;
– Faça limpeza semanal com água e sabão nos recipientes de armazenamento de água;
– Guarde garrafas sempre viradas para baixo;
– Mantenha as lixeiras e contêineres de lixo sempre fechados;
– Não jogue lixo nas ruas ou terrenos baldios.