Saúde anuncia 100 novos leitos de UTI em hospitais do Distrito Federal

De acordo com a pasta, até a próxima semana, serão disponibilizados mais 36 leitos de UTI em três unidades de saúde da capital

atualizado 18/02/2021 10:54

DF ativa 20 novos leitos de UTI para pacientes com Covid-19Davidyson Damasceno/Agência IGESDF

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES-DF) informou que, até a próxima semana, serão disponibilizados mais  36 leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) na capital. Serão 13 no Hospital Daher; 17  no Hospital Regional de Samambaia (HRSam); e seis no Hospital de Campanha da Polícia Militar.

Posteriormente, outros 40 serão reativados no Hospital Regional de Santa Maria (HRSM). No Hospital de Campanha de Ceilândia, 20 leitos da enfermaria serão convertidos em de UTI.

De acordo com a pasta, a reativação e criação de leitos de UTIs está prevista no Plano de Mobilização de Leitos Covid-19, apresentado pela SES-DF no fim do ano passado. A medida também visa garantir atendimento para pacientes de outras unidades da Federação, além do Entorno do DF.

Média móvel de mortes

A média móvel de mortes por Covid-19 no Distrito Federal subiu para 9,9 nessa quarta-feira (17/2). Na comparação com o indicador apurado há 14 dias, houve queda de 4,1%, o que mostra estabilidade na quantidade de mortes.

Devido ao tempo de incubação do novo coronavírus, adotou-se a recomendação dos especialistas no sentido de comparar a média móvel do dia com a de duas semanas antes. As oscilações no número de mortes ou de casos de até 15% para mais ou para menos caracterizam invariabilidade.

Desde o início da pandemia de coronavírus, o DF já notificou 286.720 contaminações e 4.718 óbitos em decorrência da doença. Nas últimas 24 horas, entre terça (16/2) e quarta, foram 10 mortes e 583 novas infecções.

Taxa de ocupação nas UTIs

Segundo dados da Secretaria de Saúde do DF (SES-DF) atualizados às 12h10 dessa quarta-feira (17/2), 206 dos 277 leitos operacionais de UTI, Ucin e UCI destinados a pacientes da Covid-19 estão ocupados, o que equivale a 74,4% da capacidade da rede pública. O número inclui todos os leitos não bloqueados.

Na rede privada, 162 dos 208 leitos adultos disponíveis estão ocupados — taxa de 77,9%. Acompanhar a taxa de ocupação dos leitos é uma das formas de medir a evolução da transmissão da doença.

Últimas notícias