*
 

A morte do jornalista André Duda, 56 anos, deixou amigos, ex-colegas de trabalho e ex-gestores do Distrito Federal estarrecidos. Sempre com um sorriso no rosto e as resoluções para problemas de comunicação na ponta da língua, Duda parecia ter saúde plena. Exceto quanto se queixava de dores no pé após o rompimento no tendão. Mas na maior parte do tempo ria, contava piada, fazia conjecturas e planos. Muitos planos.

Nesta terça-feira (3/7) o jornalista sofreu um infarto e morreu. Duda começou a passar mal por volta das 12h, enquanto almoçava com um amigo. Chegou a procurar socorro em uma unidade do Corpo de Bombeiros do Núcleo Bandeirante, mas não resistiu ao ataque cardíaco.

Por meio de nota, o atual governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg (PSB), lamentou a perda. “Foi com pesar que recebi a notícia da morte do ex-secretário de Comunicação André Duda, que dedicou boa parte de sua vida profissional ao governo. À família, somo-me neste momento de dor para desejar conforto e paz”, disse o socialista.

Ex-secretário de Comunicação nos governos de Joaquim Roriz, José Roberto Arruda, Rogério Rosso e Agnelo Queiroz, ele deixou amigos e admiradores por onde passou. Emocionado e ainda sem processar direito a informação, o ex-governador Agnelo Queiroz (PT) se mostrou muito abalado. “Conhecia o Duda há 25 anos, mesmo antes dele trabalhar comigo. Está tudo muito doloroso. Recebi a notícia e não consegui levantar até agora da cadeira”, disse.

Agnelo afirmou ter almoçado com o jornalista há uma semana. “Estávamos discutindo sobre processos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Sobre a vida. Um cara leal, amigo, do bem. Entendia como ninguém como funcionava a política, super competente. Só posso me solidarizar com a esposa, os filhos, os amigos”, completou.

Quando assumiu o mandato como governador tampão de Brasília, o atual deputado federal Rogério Rosso (PSD) também trabalhou com Duda. Ele recebeu a notícia com imensa tristeza: “André sempre se mostrava com um sorriso no rosto, com muita disposição e competência no trabalho. Sem dúvida, perdemos um amigo e o DF um grande profissional de Comunicação, apaixonado pela capital federal”, disse.

O ex-governador do DF, José Roberto Arruda (PR) não quis comentar a morte do ex-secretário e informou que prestará seus sentimentos à família. André Duda faria 57 anos no próximo dia 25. Ele deixa a esposa Terezinha e os filhos Pablo e Priscila.

Última homenagem
O jornalista André Duda será homenageado, pela última vez com corpo presente, a partir de 12h de quarta-feira (4/7) no Cemitério e Crematório Jardim Metropolitano (Av. 2, Valparaiso-GO). O corpo será velado às 12h, na capela número 9 e, logo após, às 13h, ocorrerá uma reverência entre familiares e amigos. A cremação está confirmada para acontecer às 14h.