*
 

O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) e comitiva foram alvos de um ataque de ovos neste sábado (7/4). Ao menos três unidades foram jogadas em direção ao chefe do Executivo local durante as comemorações do 47º aniversário de Ceilândia, nas proximidades da administração regional, na QNM 13.

Em um vídeo, é possível ver o governador, de camisa azul, conversando com um grupo. Logo depois, o primeiro ovo é lançado e acerta a cabeça de uma pessoa. Em seguida, outros dois são arremessados. Não é possível identificar com clareza nas imagens quem foi atingido.

Depois do ataque, duas mulheres foram detidas. Ambas gritavam palavras de protesto ao governo. “Não tem nada nessa cidade. Não tem hospital, não tem saneamento”, dizia uma delas. “Eu estou esperando há dois anos por uma consulta”, reclamava a outra.

Confira o vídeo:

 

A Polícia Civil (PCDF) confirmou o registro da ocorrência na 23ª Delegacia de Polícia, feita às 11h06. Informou que duas mulheres suspeitas de jogar ovos na comitiva do GDF foram levadas à unidade e liberadas após prestar depoimento.

Nota de repúdio
Um repórter do Diário de Ceilândia, página do Facebook que traz notícias sobre a cidade, também foi encaminhado à delegacia. Ele fazia a cobertura do evento e filmou a ovada. Segundo postagem publicada pela periódico no início da tarde, policiais “cercaram o profissional de imprensa, confiscaram o celular onde foram gravadas as imagens, constrangido e acuado, foi conduzido à 23ª Delegacia de Polícia”.

“É absurda e antidemocrática a violência cometida contra os profissionais de imprensa durante seu trabalho para levar informação de interesse público para toda a população de Ceilândia. Trata-se de um caso de polícia e todas as providências serão tomadas para que os responsáveis pelas agressões sejam punidos”, continuou a postagem.

 

O outro lado
Procurada pelo Metrópoles, a Polícia Militar do DF não havia se manifestado até a publicação desta reportagem. A Polícia Civil por sua vez, explicou que o jornalista foi encaminhado à DP como testemunha.

 

O GDF classificou o caso como uma “tentativa de agressão previamente articulada pela oposição com o objetivo de constranger o governador, como revela o vídeo”.

De acordo com  a nota oficial, as imagens mostram a agressora antes de atacar Rollemberg e, depois, sendo contida por seguranças do evento. Ela “grita e faz escândalo – também filmado – para se passar por vítima”, destacou o texto. “Lamentável que fatos como esse ocorram embora revelem os métodos asquerosos de se fazer oposição a um governo”, continuou.

A nota ressaltou, ainda que “esse episódio não comprometeu a enorme receptividade que o governo recebeu da população na comemoração do aniversário da cidade”.

O PSB, partido do governador, também soltou uma nota no final da tarde. Confira na íntegra:

O Partido Socialista Brasileiro no Distrito Federal repudia a agressão sofrida pela comitiva do governador Rodrigo Rollemberg (PSB) promovida por duas jovens a serviço de opositores do governo.

A cena toda foi armada com uma filmagem prévia e a continuidade da ação das duas agressoras, que chegaram a atingir a uma criança com sua virulência. O PSB repudia qualquer tentativa de se criar um clima hostil e artificial contra o governador e estará atento para que agressões desse tipo não se repitam.

Defendemos o debate de alto nível. Não aceitamos baixarias, mas também não ficaremos quietos a novas e repugnantes agressões como assistimos no dia de hoje.

Bem como, não concordamos com ataques violentos a nenhum de nossos opositores.

O PSB fica feliz ao ver que a maioria da população, presente ao evento comemorativo, sequer tomou conhecimento da tentativa de agressão e recebeu o governador Rollemberg e a sua comitiva de maneira calorosa e carinhosa.