Adolescentes beneficiados pelo programa Jovem Candango protestam contra atrasos no pagamento. A bolsa-salário de janeiro deveria ter sido depositada pela Secretaria de Justiça e Cidadania do Distrito Federal (Sejus) até o quinto dia útil do mês de fevereiro, que caiu na quinta-feira (7/2), mas ainda não entrou na conta.

A pasta confirmou o atraso no pagamento de janeiro e diz que enfrenta questões burocráticas envolvendo a “revisão de todos os contratos que estão sendo feitos pela Sejus”.

Stephane Rodrigues, de 16 anos, foi uma das prejudicadas. Na turma que faz parte, outros 40 adolescentes também estão tendo problemas com o atraso. “Faz falta e estamos sendo prejudicados. Com esse dinheiro, eu ajudo minha família em casa”, disse a jovem.

Quando notaram o atraso, a estudante e outros 40 beneficiados questionaram a irregularidade e foram informados de que “não há previsão para o pagamento”. No entanto, a Sejus assegura que “ainda nesta semana disponibilizará recursos para pagar a bolsa-salário”.

Segundo Stephane, do total que deveria ser pago – R$ 580 mais auxílios –, a pasta depositou apenas os valores referentes ao tíquete-alimentação e ao vale-transporte. Os beneficiados do programa trabalham 5 h por dia, de segunda a sexta-feira.