Revestimento de teto em escola do DF desaba e deixa funcionária ferida

O acidente ocorreu no Centro de Ensino Fundamental 3 do Paranoá e expõe ainda mais a precariedade das estruturas dos colégios públicos

atualizado 31/08/2018 13:22

Material cedido ao Metrópoles

O revestimento do teto da cantina de uma escola pública do Paranoá desabou por volta das 21h30 dessa quinta-feira (30/8) deixando uma pessoa ferida. O caso ocorreu no Centro de Ensino Fundamental (CEF) 3 e expõe ainda mais a situação precária na estrutura dos colégios do DF.

Conforme o Metrópoles mostrou em reportagem da série DF na Real, publicada no dia 18 de agosto deste ano, relatório do Tribunal de Contas do DF (TCDF) aponta que de cada 10 instituições de ensino públicas da capital, pelo menos nove carecem de reformas médias ou grandes.

Segundo a Secretaria de Educação, uma funcionária que presta serviços ao CEF 3 sofreu escoriações após o teto ceder. O nome da mulher não foi informado. A pasta destacou que a vítima foi atendida na escola pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada ao hospital. Nessa sexta (31), segue em observação e passa por exames.

0

De acordo com o Sindicato dos Professores (Sinpro), três funcionários estavam no local na hora do desabamento. “O colégio é antigo e precisa de reforma. Infelizmente, o governo está esperando acontecer uma tragédia para fazer algo”, alertou o diretor da entidade, Samuel Fernandes.

Em nota, a Secretaria de Educação disse estar tomando as medidas necessárias em relação à queda de parte do revestimento do teto do Centro de Ensino Fundamental 3 do Paranoá. “A equipe de engenharia está na escola para vistoria. O objetivo dos profissionais é realizar um laudo técnico, para verificar as possíveis causas do ocorrido”, destacou a pasta.

Informou ainda que o CEF 3 do Paranoá foi construído em 2004, há 14 anos, e atende aproximadamente 2,4 mil alunos, do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, distribuídos em três turnos.

Por conta do desabamento, as aulas do turno matutino da escola foram suspensas nesta sexta-feira (31). “A reposição será feita posteriormente, e a data será ajustada com a comunidade escolar. No decorrer desta manhã, a equipe gestora da unidade escolar irá decidir sobre o funcionamento ou suspensão das atividades dos próximos dois turnos, vespertino e noturno”, assinalou a secretaria.

De acordo com um levantamento do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT), dos R$ 287 milhões previstos na Lei Orçamentária Anual (LOA) para a educação no primeiro trimestre de 2018, o GDF empenhou apenas 6% em reparos nas unidades de ensino espalhadas pela capital do país, índice que motivou críticas de uma das autoras do estudo, a procuradora distrital dos Direitos do Cidadão, Maria Rosynete de Oliveira Lima.

“Esse dado revela o distanciamento do planejamento governamental da realidade, visto que nenhuma unidade de ensino pode ser reformada com apenas R$ 10 mil”, destacou a procuradora.

Últimas notícias