Ressaca: distritais derrotados não comparecem à 1ª sessão pós-eleição

Todos os distritais que não registraram presença em Plenário nesta terça-feira (4/10) foram aqueles que não garantiram um cargo em 2023

atualizado 05/10/2022 8:47

Fotografia colorida mostra, do alto, plenário legislativo Rafaela Felicciano/Metrópoles

A primeira sessão na Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) após as eleições teve agradecimento por parte dos deputados eleitos e ausência da maior parte daqueles que não conseguiram renovar seus mandatos. Todos os seis distritais que não registraram presença em Plenário ao longo da tarde dessa terça-feira (4/10) foram aqueles que não garantiram um cargo a partir de 2023.

O púlpito foi utilizado por Chico Vigilante (PT), Fábio Felix (PSol), Hermeto (MDB), Jorge Vianna (PSD), Daniel Donizet (PL), Rafael Prudente (MDB), Eduardo Pedrosa (União), Iolando (MDB), Jaqueline Silva (Agir) e Reginaldo Veras (PV). Todos comemoraram a possibilidade de continuar os trabalhos seja na Câmara Distrital, seja na Federal.

O único derrotado no pleito de domingo (2/10) a falar foi Agaciel Maia (PL). Ele lamentou a impossibilidade de continuar na política, mas garantiu que irá trabalhar até o último dia de mandato como se fosse o primeiro.

Leandro Grass (PV) e Delegado Fernando Fernandes (Pros), que também ficam sem mandato após dezembro, estiveram presentes, mas não se pronunciaram.

Ausências

Coincidência ou não, todos os seis deputados que faltaram à sessão não conseguiram se eleger para algum cargo público.

Claudio Abrantes (PSD), Delmasso (Republicanos), Reginaldo Sardinha (PL) e Valdelino Barcelos (PP) ficaram como primeiros suplentes dos respectivos partidos.

Já José Gomes (PP) e Júlia Lucy (União) tentaram eleição para deputado federal e não obtiveram êxito.

Mais lidas
Últimas notícias