CLDF tem 50% de renovação; 10 distritais serão novatos em 2023

Dez dos deputados distritais eleitos nesse domingo (2/10) nunca haviam ocupado o cargo. Número representa um 40% do total de gabinetes

atualizado 07/10/2022 11:19

entrada para a garagem subterrânea de um prédio branco Rafaela Felicciano/Metrópoles

Os eleitores brasilienses escolheram, nesse domingo (2/10), os novos representantes da Câmara Legislativa (CLDF). Dos 24 gabinetes, metade não passou por mudanças ─ ou seja, houve renovação de 50% dos distritais. E, dos 12 não reeleitos, 10 ocuparão o cargo pela primeira vez. Eles permanecem como deputados distritais até 2026.

Ao todo, houve 1.660.387 votos válidos. No caso do Poder Legislativo, adota-se o sistema eleitoral proporcional: as vagas para cargos de deputado federal e distrital são distribuídas entre os candidatos, com base no total obtido pelos postulantes, pelas federações e pelos partidos mais votados.

Confira quem são os estreantes na CLDF:

Dayse Amarilio (PSB)

Brasiliense, a enfermeira obstetra foi eleita para o primeiro mandato de deputada distrital. Ao concorrer à eleição, licenciou-se do Sindicato dos Enfermeiros do Distrito Federal (SindEnfermeiro-DF), entidade na qual ocupava o cargo de presidente e onde esteve à frente de lutas da categoria. Também é professora e se apresenta como defensora do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Vou fazer um mandado participativo e eu quero dar essa voz para essas pessoas. Também vou defender uma pauta prioritária que é a Saúde. Me vejo com uma sensação de muito desafio. Não sei o que vou enfrentar, mas estou preparada”, afirma Dayse.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Doutora Jane (Agir)

Natural de Brasília e delegada da Polícia Civil do Distrito Federal, foi atleta de voleibol, enfermeira, professora de geografia na rede pública de ensino e diretora do Sindicato dos Professores (Sinpro-DF). Exerceu cargos como secretária de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude, administradora de Sobradinho e chefe da Controladoria Jurídica da Companhia de Planejamento do DF (Codeplan). Em 2018, ficou como suplente de parlamentar na CLDF.

“Tenho uma expectativa grande em relação a uma das minhas bandeiras que é a defesa da mulher. Quero me firmar como a deputada das mulheres. A pauta de segurança pública é naturalmente minha pauta, tenho muitas propostas para melhorar policiamento”, disse Jane.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Gabriel Magno (PT)

Professor do ensino médio da Secretaria de Educação do Distrito Federal, é considerado sucessor da deputada distrital Arlete Sampaio (PT), de quem foi chefe de gabinete. Ele chega à CLDF ao disputar a primeira eleição, com propostas para educação, saúde, direitos humanos e com a promessa de “lutar por uma cidade para todos”.

“Vamos fazer um mandato moderno e efetivo que vai fiscalizar o governo com firmeza e muita responsabilidade, dando continuidade ao trabalho que a deputada Arlete Sampaio desenvolveu nos últimos anos”, disse Gabriel.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Joaquim Roriz Neto (PL)

Joaquim Roriz Neto é brasiliense, filho da ex-deputada distrital Jaqueline Roriz e neto de Joaquim Roriz. Formado em ciência política, atuou como subsecretário de Parcerias Comunitárias e Voluntariado no governo Ibaneis Rocha (MDB), porém, licenciou-se para disputar a vaga na CLDF. Nas eleições de 2014 e 2018, tentou uma cadeira na Câmara dos Deputados, mas não conseguiu.

“Tenho muita fé que a gente vai conseguir fazer um trabalho para ajudar muita gente. Vou lutar pela assistência social que foi um dos marcos do governo do meu avô. Também quero ser o representante dos jovens na CLDF, fui o candidato eleito mais jovem, com 30 anos”, disse Joaquim.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Max Maciel (Psol)

O pedagogo e ativista social chega à Câmara Legislativa na segunda campanha ao cargo de deputado distrital. Com o lema “A periferia é o centro”, o ceilandense — que atua há mais de 20 anos na defesa dos direitos da juventude — apresentou propostas para o passe livre estudantil, a descentralização da cultura, o fortalecimento do empreendedorismo local e a saúde pública.

“Quero conseguir imprimir para o DF todo o acumulo de projetos que mobilizamos durante esses 20 anos. Um debate que passe pelas periferias, que passe pelo orçamento. Incidir de forma intrínseca no transporte público e na descentralização da cultura”, afirma Max.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Pastor Daniel de Castro (PP)

Natural de Itapipoca (CE), o pastor é professor, cientista político, advogado e ex-administrador de Vicente Pires, região administrativa onde mantém reduto eleitoral. Chegou à função de suplente de deputado distrital em 2014, pelo MDB, e em 2018, pelo PSC. Posiciona-se contra a legalização das drogas e a descriminalização do aborto.

“Reafirmo meus compromissos de campanha nas áreas de Saúde, Educação, Desenvolvimento Econômico, Social, Territorial, Segurança e Infraestrutura, áreas as quais serão nossas bandeiras diárias”, afirmou o pastor Daniel em nota.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Pepa (PP)

Natural de Várzea do Poço (BA), é morador de Planaltina, servidor público distrital e tem como bandeiras principais a defesa do esporte, da cultura, da mobilidade e da assistência social. Foi candidato a deputado distrital em 2014, pelo PHS, e em 2018, pelo PSC, mas não conseguiu votos suficientes para se eleger.

Procurado, o candidato eleito não retornou o contato da reportagem. O espaço segue aberto para eventuais manifestações.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Thiago Manzoni (PL)

Advogado e natural de Campo Grande, chegou a Brasília em 1990, aos 6 anos. Declara-se cristão, conservador e se apresentou na campanha como o distrital da deputada federal e correligionária Bia Kicis. Posiciona-se contrariamente à descriminalização do aborto e em defesa da propriedade privada. Em 2018, candidatou-se à Câmara dos Deputados pelo Novo e recebeu 11.610 votos.

“Espero poder atuar em defesa da família, das liberdades individuais e do respeito ao indivíduo como gerador de riquezas, em defesa do empreendedorismo e de um Estado mais econômico, mais enxuto e menos interventor nas atividades produtivas”, disse Thiago.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Rogério Morro da Cruz (PMN)

Bernardo Rogério Mata de Araújo Junior, eleito com o nome Rogério Morro da Cruz, nasceu em Porto (PI). É casado, tem seis filhos e trabalha na área de vendas. Entre as suas prioridades para o mandato de deputado distrital, na nona legislatura da Câmara Legislativa, ele destaca a regularização fundiária.

“Iremos quebrar muitas barreiras, principalmente para São Sebastião e outras regiões carentes de infraestrutura. Também vou lutar pela regularização fundiária. Como eu morro dentro de um bairro carente, que não tem saneamento, eu irei me doar”, disse Rogério.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

Paula Belmonte
Deputada federal eleita em 2018 pelo PPS, tem como principais bandeiras a defesa da infância, da educação e do incentivo ao empreendedorismo. Formada em administração, é empresária e defende a reforma tributária e fim de privilégios aos políticos, como a prerrogativa de foro e a reeleições sem limites no legislativo.

“Quero levar para a Câmara Legislativa do DF os quase quatro anos de experiência como deputada federal, defendendo as bandeiras do cuidado com as crianças, apoio ao empreendedorismo e combate à corrupção”, disse Paula.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
0

 

Mais lidas
Últimas notícias