Profissionais de Hospitais de Campanha do DF denunciam 3 meses de salários atrasados

Um grupo de 60 médicos não recebe o salário desde abril. Outros servidores estão sem os pagamentos dos meses de maio e junho

atualizado 23/06/2021 12:17

Hospital de Campanha da PMBreno Esaki/Agência Saúde-DF

Profissionais da Saúde dos Hospitais de Campanha da Ceilândia, Santa Maria e da Polícia Militar reclamam que estão com salários atrasados há dois meses. Servidores contaram ao Metrópoles que alguns técnicos de enfermagem estão passando necessidades e precisando de ajuda para pagar as contas.

A reportagem conversou com uma enfermeira do Hospital de Campanha da PM, que afirmou que os profissionais continuam trabalhando normalmente, apesar dos atrasos. “Nós estamos cumprindo com a nossa parte, mas ninguém lembra da gente. Fomos aplaudidos como heróis, mas já estamos abandonados mesmo antes do fim da pandemia”, desabafou a enfermeira que preferiu não se identificar.

A empresa Associação Saúde em Movimento (ASM), responsável pelos pagamentos das unidades, afirma que os salários não foram pagos porque a Secretaria de Saúde do DF (SES-DF) não repassou o dinheiro do mês de maio. Mas, em abril, a empresa não pagou o salário de 60 médicos do Hospital de Campanha da PM.

Em relação ao atraso do mês de abril, o presidente da ASM, Cláudio Vitti, admitiu que o dinheiro repassado pela SES foi utilizado para a compra de sedativos, que estavam em falta, e para manutenções no hospital.

“Se faltar sedativos e outros aparelhos essenciais de novo, eu vou usar o dinheiro dos salários novamente. Sempre vamos optar pelas vidas, porque elas não voltam mais, o salário eu posso pagar com atraso ou fazer um empréstimo”, disse o presidente.

Um médico do Hospital de Campanha da PM, que também preferiu não se identificar, contou ao Metrópoles que a empresa se comprometeu a fazer um empréstimo para pagar os salários atrasados. “Sabemos que existem funcionários passando necessidades. Há alguns fazendo vaquinha nesse momento”, revelou o servidor.

0
O que diz a Saúde

Em nota ao Metrópoles, a Secretaria de Saúde do DF (SES-DF) esclareceu que o pagamento dos salários dos profissionais de saúde dos hospitais de campanha é de responsabilidade exclusiva da empresa contratada para administrar a unidade.

A pasta afirmou que os repasses para a empresa Associação Saúde em Movimento (ASM) estão em dia. “O pagamento do último mês está em fase de instrução, dentro do prazo previsto em contrato”, finalizou a Saúde.

Manifestação

A Associação Saúde em Movimento (ASM) organizou uma manifestação, nesta quarta-feira (23/6), em frente a SES-DF, para protestar contra a suspensão dos pagamentos em relação ao mês de maio.

“A instituição vem cumprindo na íntegra o contrato da gestão e quer manifestar a indignação quanto ao desrespeito da SES-DF com os profissionais de saúde que estão atuando de forma engajada, árdua e com dedicação total, aos pacientes com Covid-19, do Distrito Federal”, divulgou em nota.

Entretanto, a manifestação foi cancelada. De acordo com o presidente, Cláudio Vitti, a instituição resolverá os problemas referentes aos pagamentos para marcar novo protesto contra a Secretaria de Saúde.

Mais lidas
Últimas notícias