Presidente do Inas sobre GDF Saúde: “Queremos fechar 2021 com 70 mil beneficiários”

Estimativa vem com a adesão dos policiais civis do DF ao plano de saúde de servidores, hoje com 30 mil pessoas amparadas

atualizado 30/06/2021 20:42

Pixabay

O Plano de Saúde dos Servidores de Brasília, o GDF Saúde, deve alcançar 70 mil assegurados até o fim de 2021. A estimativa é do presidente do Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores do Distrito Federal (Inas-DF), Ney Ferraz. Segundo ele, com a adesão de policiais civis ao plano na terça-feira (29/6), os 30 mil associados rapidamente subirão para 60 mil.

“Já tínhamos 30 mil adesões. Com a assinatura do termo da PCDF, vamos alcançar 60 mil. Até o fim de 2021 chegamos a 70 mil ou 80 mil vidas asseguradas”, disse Ney Ferraz ao Metrópoles.

Lançado em outubro de 2020 pelo governador Ibaneis Rocha (MDB), o Plano de Saúde dos Servidores do Governo do Distrito Federal  tem, hoje, convênio com oito hospitais gerais e 10 especializados, além de 2 mil clínicas e consultórios especializados. Há, ainda, a possibilidade de mais de 30 laboratórios aptos a atender os funcionários do GDF.

O Inas ainda tenta ampliar a adesão de servidores com salários entre R$ 3 mil e R$ 4 mil. “Estamos estudando a viabilidade de uma alternativa para que eles sejam contemplados e amparados pelo plano de saúde. O plano é de autogestão, não busca lucro, não pode ter prejuízo, mas o plano é feito para os servidores”, ressaltou o presidente do Inas, Ney Ferraz.

Adesão dos policiais civis

O Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol) e a Associação dos Delegados do DF assinaram, na terça-feira (29/6), convênio com o Inas-DF.

Até abril deste ano, a adesão da PCDF e de seus familiares ao GDF Saúde dependia da solução de um impasse burocrático no Fundo Constitucional (FCDF).

Como as forças de segurança da capital do país são custeadas pelo FCDF, que é gerido pela União, o Inas-DF, gestor do GDF Saúde, não poderia fazer o desconto em folha dos integrantes da corporação. No entanto, em 13 de abril, os deputados distritais aprovaram em segundo turno a inclusão dos policias civis no plano. Em seguida, o governador Ibaneis Rocha (MDB) sancionou a decisão. Foi realizada, ainda, a previsão orçamentária para a adesão.

Até 600 mil pessoas

O convênio tem capacidade para atender até 600 mil pessoas, entre servidores ativos, inativos e dependentes, segundo o GDF. As inscrições para participar do plano de saúde começaram em 3 de novembro de 2020.

Os funcionários públicos distritais que optam por aderir ao plano devem saber que o piso de pagamento para beneficiário titular é R$ 400, e o teto é R$ 1 mil. Para dependentes ativos, o valor mínimo é R$ 200; para os inativos, R$ 400.

Na portaria de regulamentação, estão previstos descontos em percentuais do salário. Por isso, há um piso e um teto de contribuição. O desconto para titulares é de 4% sobre a folha de remuneração bruta, porém, o valor não pode ser inferior a R$ 400 nem passar de R$ 1 mil.

Mais lidas
Últimas notícias