Por falta de luz, bebês e gestantes são transferidos às pressas de hospital do DF

Pacientes de Sobradinho devem se dirigir a outras unidades de saúde. Segundo a pasta. não houve vítimas em decorrência da queda de energia

atualizado 23/09/2021 7:05

hospital regional de sobradinhoGoogle Street View/Reprodução

Após pane elétrica obrigar a Secretaria de Saúde a decretar bandeira negra no atendimento do bloco materno-infantil do Hospital Regional de Sobradinho, bebês, gestantes e puérperas que estavam internados foram transferidos às pressas para outras unidades. A situação de emergência ocorreu na noite desta quarta-feira (22/9), por volta das 21h.

Agora, por recomendação da pasta, pacientes que precisarem de atendimento de alto risco deverão procurar o Hospital Regional da Asa Norte (Hran), e os de menor risco, como os hospitais da Região Leste, no Paranoá e Universitário de Brasília (HUB).

A bandeira negra é decretada em casos excepcionais. Em resumo, o hospital está fechado total ou parcialmente para receber novos pacientes. Foi a segunda vez em 13 dias que um hospital público tem o estado de emergência decretado.

Bebê

Depois da bandeira negra, correram boatos nas redes sociais de que dois bebês em incubadoras teriam morrido por consequência da queda da energia. A Secretaria de Saúde, no entanto, esclareceu em nota (leia a íntegra no fim da matéria) que houve óbito de um bebê, mas sem relação com a falta de luz. “A criança tinha prematuridade extrema e já estava com o quadro de saúde instável. A pasta se solidariza com a família e lamenta o óbito”, diz o texto.

Além disso, a pasta garantiu que os respiradores que funcionam na unidade têm baterias que os mantêm em operação mesmo com queda na eletricidade. “A autonomia dos equipamentos varia entre 2h e 24h, a depender da marca do aparelho. Desta forma, há um tempo hábil para que o paciente seja transferido de uma unidade para outra sem qualquer prejuízo à assistência”, assegurou. As demais alas do Hospital de Sobradinho atendendo normalmente.

Sobre o reparo na rede elétrica, a Neoenergia Brasília informa que o fornecimento de energia, até o ponto de entrega do Hospital de Sobradinho, está normal, não havendo defeito nas instalações da distribuidora. A empresa diz ainda que disponibilizou suas equipes técnicas que atuaram em conjunto com a equipe de manutenção do hospital para apoiar na identificação do defeito e auxiliar nos reparos.

 

0

Veja a nota da Secretária de Saúde na íntegra:

“A Secretaria de Saúde informa que decretou bandeira negra no atendimento do bloco Materno Infantil do Hospital Regional de Sobradinho. O motivo da suspensão dos atendimentos foi a queda de energia da rede elétrica interna do hospital, que já foi reparada.

Os pacientes que estavam internados no local foram transferidos para outras unidades, entre eles bebês, gestantes e puérperas. Assim, as pacientes que necessitarem de atendimento de alto risco, deverão procurar o Hospital Regional da Asa Norte, e os de menor risco, os hospitais da Região Leste (Paranoá) e Universitário de Brasília.

A Secretaria de Saúde esclarece, ainda, que o óbito de um bebê na unidade não tem relação com a queda de energia. A criança tinha prematuridade extrema e já estava com o quadro de saúde instável. A pasta se solidariza com a família e lamenta o óbito.

Os respiradores que funcionam na unidade possuem baterias que os mantêm funcionando, mesmo com a queda da eletricidade. A autonomia dos equipamentos varia entre 2h e 24h, a depender da marca do aparelho. Desta forma, há um tempo hábil para que o paciente seja transferido de uma unidade para outra sem qualquer prejuízo à assistência.

As demais alas do hospital continuam com atendimento normal.

Sobre o reparo na rede elétrica, a Neoenergia Brasília informa que o fornecimento de energia, até o ponto de entrega do Hospital de Sobradinho, está normal, não havendo defeito nas instalações da Distribuidora. A empresa informa ainda que disponibilizou suas equipes técnicas que atuaram em conjunto com a equipe de manutenção do hospital para apoiar na identificação do defeito e auxiliar nos reparos”

Últimas notícias