Hospital de Campanha do Autódromo cria SPA Day para pacientes da Covid

Iniciativa conta com kits de hidratação para o rosto, pés e mãos e deve ocorrer duas vezes por mês

atualizado 22/09/2021 20:49

Material cedido ao Metrópoles

Buscando levantar a autoestima dos pacientes graves acometidos pela Covid-19, o Hospital de Campanha do Autódromo de Brasília iniciou, na terça-feira (21/9), o programa de SPA Day para aqueles que estão internados no local. Hidratantes, lenços e lixa de unha foram distribuídos.

A novidade foi idealizada pela presidente da Humanização dos Hospitais de Campanha do DF da Mediall, Bruna Nascimento. “A gente viu essa necessidade, principalmente dos extubados, que ficaram muito tempo em um ambiente frio, umidade baixa. Isso causa a pele seca e diversas complicações”, explica.

Foram 50 kits elaborados e dois tipos diferentes. Um deles era específico para cuidados com mãos e pés e outro para o rosto. “Uma pele descuidada, uma pele seca, pode gerar feridas e acaba que impacta na parte psicológica do paciente também. A ideia é diminuir essas consequências”, comenta.

A resposta dos pacientes, conta Bruna, foi boa e a expectativa é realizar a entrega destes kits no começo e fim de cada mês. “É um momento muito difícil para quem está ali internado. Não pode receber visita e acaba se sentindo isolado. Essas iniciativas lembram a ele que não está ali jogado”, diz.

0
Hospital já realiza terapia ocupacional e tem sala de descompressão

O nome do local é Sala de Terapia Ocupacional na Cinesioatividade. Apesar de parecer complicado, a função do espaço é de fácil entendimento: ajudar o paciente a já sair da internação com uma capacidade maior de voltar a praticar as atividades diárias exercidas antes do coronavírus.

Conforme explica Bruna, este era um projeto que ela já tinha na cabeça há um tempo e pôde colocar em prática no meio de julho. “O nosso espaço tem diversos equipamentos que eu mesma fiz ou comprei para que a gente possa trabalhar a movimentação do paciente. A intenção é que ele já saia do hospital com um maior grau de independência”, explica.

Desta forma, são utilizados pregadores de roupa, bambolês, halteres e cones para reproduzir esforços que serão feitos pela pessoa quando retomar a vida normal. “A gente conversa, vê qual era a rotina desse paciente e desenvolve uns exercícios que duram 10 minutos. O pregador, por exemplo, ajuda a ter de volta força no dedo para segurar uma caneta para escrever ou um garfo para comer”, comenta.

Bruna conta que aqueles afetados pela Covid-19 que precisaram passar por intubação são os que inspiram mais cuidados. “Eles podem perder a força para tomar um comprimido por conta própria, segurar um copo, tomar banho. É esta independência que a gente busca nestas pequenas sessões”, destaca.

0

 

Outra iniciativa, desta vez voltada para os funcionários, foi a criação da Tenda de Descompressão. Implantada há duas semanas não apenas no autódromo, mas também nos outros hospitais de campanha da Medial em Ceilândia e no Gama, o local cria um ambiente diferente para relaxar.

Conforme explica o gerente administrativo do hospital de campanha, Leandro Galvão, cerca de 20% dos afastamentos do trabalho eram relacionados a problemas psicológicos como crises de ansiedade e pânico. “A gente tinha o dormitório, a copa, mas ainda ficava dentro do mesmo ambiente, as pessoas saíam e ficavam espalhadas. Foi aí que compramos pufes, fizemos a tenda e inauguramos este espaço”, conta.

0

A mudança de ambiente, diz Leandro, foi imediata. “A gente começou a receber elogios, as pessoas começaram a conversar mais e ter um outro lugar para descansar. Ajudou bastante”, aponta.

Últimas notícias