Rogério Rosso: “Não descarto concorrer ao GDF”

Ao lado do senador Cristovam Buarque (PPS), o deputado federal fez reuniões para discutir a viabilidade de sua candidatura nas Eleições 2018

JP Rodrigues/Especial para o MetrópolesJP Rodrigues/Especial para o Metrópoles

atualizado 15/07/2018 13:37

Dois dias depois do pré-candidato ao Palácio do Buriti Jofran Frejat (PR) anunciar que pode desistir da disputa, Rogério Rosso (PSD) afirma que cogita entrar para o cenário dos buritizáveis. Até então, o deputado federal negociava a possibilidade de ser candidato à Câmara dos Deputados ou ao Senado Federal, pela terceira via, encabeçada por Izalci Lucas (PSDB).

“Não havia pensado nessa possibilidade, mas a atual conjuntura tem levado a fazermos conversas. Não descarto me candidatar”, disse ao Metrópoles. Rosso se reúne com Cristovam Buarque no fim da tarde deste domingo (15/7) para tratar do tema. “Vamos conversar, avaliar. Pretendo ter uma decisão na segunda-feira [16]”, afirmou.

Ao lado do senador Cristovam Buarque (PPS), Rosso fez diversas reuniões, articulou para criar um grupo com viabilidade nas eleições de outubro. A princípio, a terceira via tinha 12 partidos. Izalci foi escolhido como pré-candidato, mas a instabilidade política do deputado federal em torno da presidência do PSDB tem colocado a coalizão em xeque. Hoje, a provável chapa conta apenas com seis legendas.

Rosso é ex-governador-tampão do DF, foi presidente da comissão de impeachment da Dilma Rousseff (PT). O senador Cristovam Buarque afirmou que há um “sentimento” da chapa em direção a Rosso, mas não há uma definição.

Em um cenário com Rosso como cabeça de chapa, o também integrante Wanderley Tavares (PRB) pleitearia o Senado.

Frejat
O pré-candidato Jofran Frejat anunciou publicamente a possibilidade de desistir da concorrência ao GDF na última sexta-feira (13). O Metrópoles noticiou em primeira mão. O postulante pelo PR afirmou que tem sofrido pressões de aliados e que “não vai vender a alma ao diabo”.

Embora Frejat tenha tirado o fim de semana para pensar e bater o martelo da decisão, as declarações bagunçaram o jogo político.

Últimas notícias